Conectado por

Alimentação

Top 5 alimentos para garantir a imunidade das crianças


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

Por: Ladinne Campi

É fato: as crianças adoecem com mais facilidade e isso se deve ao sistema imunológico que, nesta fase da vida, não está totalmente desenvolvido. Felizmente, existem alimentos capazes de fortalecer as defesas do organismo e garantir a saúde plena dos pequenos.

Papais e mamães sabem bem: nada preocupa tanto quando a saúde dos pequenos não está 100%. O sistema imunológico, que começa a se desenvolver ainda durante a gestação, é considerado imaturo – sobretudo, até os quatro anos de vida, e só estará completamente pronto com a chegada da adolescência.

É por este motivo que as crianças adoecem com tanta facilidade. Estima-se que nove episódios de quadros respiratórios virais se manifestam todos os anos em crianças normais. Durante a idade escolar, cuja convivência com outras crianças é intensificada, bem como a exposição a microrganismos, esse número pode chegar a doze ou treze.

Mas não para por aí: basta uma mudança no clima, uma ida à praia, algumas horas no ar-condicionado, uma brincadeira com os pés no chão ou o cheiro forte de cigarro – em caso de pais fumantes, para que os pequenos fiquem com a saúde comprometida.

Felizmente, uma forma simples de prevenir as crises é através da alimentação. Além de ser fundamental para o crescimento, um cardápio variado e rico em todos os grupos alimentares é um dos pilares para desenvolver e manter o sistema imunológico fortalecido.

As vitaminas e minerais obtidos diariamente blindam as defesas do organismo e realizam as sínteses necessárias para produzir células e tecidos. Por isso, a dica é incentivar o consumo dos seguintes alimentos:

1- Leite materno: Até os seis meses de vida, o leite materno deve ser consumido com exclusividade. Isso, porque ele contém substâncias que atuam no sistema imunológico da criança, além de proporcionar o perfeito equilíbrio entre gorduras, carboidratos e proteínas. Este benefício repercute não só durante o período de aleitamento, mas por toda a vida.

De acordo com a Fiocruz, bastam dois meses de aleitamento para reduzir em seis vezes o risco de desenvolver alergias no futuro. Após seis meses, o risco de ocorrência de linfoma na vida adulta diminui cerca de 33%.

2- Proteínas: Carnes brancas e vermelhas com baixo teor de gordura, além de leguminosas como feijão, grão de bico, lentilha e soja são fontes de energia que mantém o corpo fortalecido contra infecções e viroses.

3- Iogurtes e laticínios: Esses itens são ricos em cálcio; probióticos; vitamina A, importante na formação de ossos, dentes, cabelos, tecidos da pele, mucosas e membranas oculares; vitaminas do complexo B; vitamina C que, dentre suas funções, estimula a produção de glóbulos brancos, fundamentais para o sistema imune e vitamina D, que atua no crescimento e fortalecimento ósseo.

4- Grãos, cereais, sementes e castanhas: Ricos em fibras; vitamina E, que promove a regeneração de tecidos, sobretudo quando afetados por viroses, gripes e resfriados, além do zinco, que também tem um papel crucial na imunidade.

5- Frutas e vegetais: Embora muitos pais fiquem de cabelo em pé na hora de ofertar esses itens aos pequenos, vale persistir já que uma alimentação rica em frutas e vegetais fornece os nutrientes e as vitaminas necessárias para o bom funcionamento do corpo. A dica é oferecê-los desde a introdução alimentar, minimizando o consumo de industrializados, considerados gatilhos para a obesidade infantil e comorbidades na vida adulta.

Uma boa dica é usar a criatividade para estimular o lado lúdico da criança e facilitar a adesão. Sopas, sucos e preparos funcionais (bolos, sobremesas, salgados) são opções interessantes e saudáveis.

Estimular o interesse por um estilo de vida saudável pode e deve começar nos primeiros anos de vida. Para além de simplesmente consumir, é importante que as crianças conheçam os benefícios dos alimentos e despertem a curiosidade de experimentar novas opções.

Neste sentido, é imprescindível ter o apoio de toda a família, afinal, dar o exemplo é a melhor maneira de educar os pequenos. Quando alimentos ricos em gorduras, açúcares e carboidratos são frequentes dentro de casa e constantemente consumidos pelos pais, as chances de despertar o interesse por estes itens desde cedo é grande. Contar com a ajuda de um nutricionista é uma excelente alternativa para personalizar o cardápio do dia a dia, além de aprender como lidar com birras e resistências – comportamento comum nesta fase.

Uma vez baixa, a imunidade impacta severamente a qualidade de vida da criançada. Além dos problemas supracitados, podem se manifestar diarreia, seborreia, micoses de pele ou problemas de crescimento. Neste caso, a família deve fazer uma investigação detalhada a fim de descobrir se existe, por exemplo, uma imunodeficiência.

Garantir hábitos saudáveis é essencial para o desenvolvimento físico e até cognitivo de todos os seres humanos. Como indica a máxima: “Somos o que comemos”… E vale para toda a vida!

Semprebem.paguemenos.com.br

Publicidade
CRÉDITO JÁ - EMPRÉSTIMOS
Casas De Apostas Online

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento