Conectado por

Saúde

Mulheres também sofrem com a queda capilar; saiba as causas e tratamentos

Publicado por

em

Quando pensamos em queda de cabelo, a primeira imagem que muitas vezes vem à mente é a de um homem propício à calvície. Raramente pensamos em uma mulher que está sofrendo silenciosamente enquanto observa seu cabelo cair a cada passagem da escova. Normalmente, em ambos os casos, a perda de cabelo pode causar problemas incalculáveis de autoestima.

Continua após a publicidade

Todavia, há boas notícias para mulheres que estejam enfrentando a queda de cabelo. Hoje, existem ferramentas de diagnóstico, direções de tratamento e outros métodos eficazes para evitar o problema.

O QUE CAUSA PERDA DE CABELO NAS MULHERES?

Dr. Rodrigo Honorato, cirurgião com mais de uma década de atuação e especialista em transplante capilar inovou ao unir técnicas diferentes, sobretudo, por tratar calvícies mais complexas, áreas doadoras difíceis e correção de cirurgias, explica que o stress causado pelo período desencadeia mudanças hormonais que podem culminar em problemas capilares, como a alopécia areata. “A falta de atividades física, noites mal dormidas, também desregulam alguns hormônios que, por sua vez, reduz a defesa do sistema imune”, completa.

As mulheres perdem cabelo de maneira diferente dos homens. Em geral, o sexo feminino sofre de queda de cabelo difusa, em comparação com a queda de cabelo característica frontal e coroa nos homens.

Algumas das causas médicas reversíveis da queda de cabelo feminina incluem desequilíbrio do hormônio tireoidiano, anemia, baixos níveis de vitamina D, alterações hormonais pós-parto e menopausa. A síndrome do ovário policístico (SOP) tem sido relacionada à perda de cabelo feminina. Medicamentos como anticoncepcionais, anti-hipertensivos, esteróides e antidepressivos têm sido associados à queda de cabelo. Outros fatores do dia a dia, como o estresse físico, psicológico e emocional significativo também podem resultar na queda de cabelo.

Na meia-idade, aproximadamente 40% das mulheres apresentam sinais de queda de cabelo de padrão masculino (alopecia androgênica). Isso geralmente é devastador! Extensões de cabelo podem ser usadas para camuflar o quão fino o cabelo de uma mulher está ficando. No entanto, a tração no cabelo fraco geralmente leva a mais queda de cabelo, tornando a situação ainda pior.Quando pensamos em queda de cabelo, a primeira imagem que muitas vezes vem à mente é a de um homem propício à calvície. Raramente pensamos em uma mulher que está sofrendo silenciosamente enquanto observa seu cabelo cair a cada passagem da escova. Normalmente, em ambos os casos, a perda de cabelo pode causar problemas incalculáveis de autoestima.

Todavia, há boas notícias para mulheres que estejam enfrentando a queda de cabelo. Hoje, existem ferramentas de diagnóstico para direcionar as direções de tratamento e outros métodos eficazes para evitar o problema.

COMO TRATAR A QUEDA DE CABELO EM MULHERES? QUANDO É INDICADO TRANSPLANTE CAPILAR?

O primeiro passo para reconstruir o cabelo é avaliar as causas subjacentes do aumento da queda e corrigir os problemas médicos, se houver. Em seguida, o uso de produtos capilares que comprovadamente fortalecem o cabelo, previne a queda e nutrem o couro cabeludo são essenciais para restaurar uma quantidade saudável de cabelo.

Recomendamos iniciar o tratamento da calvície com a introdução de fármacos como a finasteride e o minoxidil, que são capazes de diminuir a concentração de diihrotestosterona no corpo. Este é o hormônio responsável pela miniaturização dos folículos capilares e posterior morte deles. Conseguindo o melhor controle deste hormônio é possível controlar a queda de cabelo”, comenta o cirurgião. “Além disso, o tratamento da alopecia pode ser complementado com a aplicação de nutrientes e vitaminas no couro cabeludo associado ao minoxidil, as quais são realizados em sessões mensais ou semanais dependendo do caso. Outro adjuvante interessante é a LEDterapia realizada em sessões semanais para ajudar no fortalecimento dos folículos capilares”, completa.

Para mulheres com cabelo ralo, tratamentos com gel de plasma rico em plaquetas (PRP) podem ser usados ​​para estimular o crescimento do cabelo. O PRP está repleto de fatores de crescimento que mantêm mais folículos capilares na fase de crescimento ativo, anágeno, criando cabelos com aparência mais espessa e cobrindo o couro cabeludo de maneira mais uniforme. O PRP é injetado no couro cabeludo em três sessões com um mês de intervalo. Para manter a plenitude, as injeções de PRP são realizadas a cada seis meses.

Já para as mulheres com áreas calvas, os procedimentos de restauração capilar são usados ​​para transplantar os folículos capilares das áreas mais grossas na parte de trás da cabeça para as áreas finas na frente ou no topo da cabeça. Os folículos são colhidos individualmente e colocados precisamente onde necessário. Isso é usado para restaurar uma linha do cabelo jovem, preencher manchas de perda de cabelo ou trazer de volta uma aparência mais completa. Este procedimento restaura não apenas a linha do cabelo, mas também a autoconfiança e a autoestima.

Se você é uma mulher que está considerando restauração capilar, certifique-se de encontrar um cirurgião plástico credenciado em sua área para uma consulta para discutir seu caso e avaliar as opções de tratamento.

De volta redonda Rio de Janeiro, DR. RODRIGO HONORATO- CRM: 5278874-0 – @dr.rodrigo_honorato

  

O cirurgião plástico carioca, Dr. Rodrigo Honorato, é graduado em medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e fez residência na Casa de Saúde Santa Marcelina, em São Paulo.

Com vasta experiência no Brasil e no exterior, o médico é referência em cirurgias plásticas e realiza procedimentos como mastopexia, mamoplastia de aumento, prótese de glúteos, abdominoplastia, rinoplastia, lipoaspiração (geral e em HD), otoplastia, blefaropastia.

Em suas redes sociais, Dr. Rodrigo compartilha informações essenciais sobre cada procedimento e mostra, com vídeos e fotos, detalhes de suas cirurgias realizadas.

Em suas especializações, realizou residência médica de cirurgia plástica no Instituto Nacional do Câncer (RJ), se aprimorou no mundo da rinoplastia primária e secundária do Dr. Enrico Robotti, em Bergamo, na Itália e se consagrou mestre no transplante capilar depois do curso profissionalizante na empresa Bosley, em Orlando, nos Estados Unidos. Em 2015, se tornou membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, com foco em rinoplastia avançada do Dr. Nazin Cerkes, em Istambul, na Turquia.

Hoje, o cirurgião atende em sua própria clínica, localizada em Resende e Volta Redonda, no Rio de Janeiro.

Assessoria