Conectado por

AL/MT

Max Russi relata insegurança na BR 163 e cobra suspensão do pedágio: “risco para quem trafega”


Compartilhe:

Publicado por

em

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT), Max Russi (PSB) reclamou nesta quarta-feira (09.06) do descaso e da falta de ação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em relação à BR 163, sentido Posto Gil, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde.

Esse órgão precisa atuar de forma firme

Max relatou que os motoristas pagam pedágio e não recebem serviço de qualidade por parte do DNIT e pela concessionária Rota do Oeste, responsável pela manutenção da BR.

Ele comparou o serviço prestado e o pedágio cobrado na região sul, onde os motoristas sentem a contrapartida nas rodovias. “A duplicação de Cuiabá a Rondonópolis aconteceu até Jaciara inclusive de concreto. Me lembro que no começo do pedágio entrei com uma ação na Justiça Federal e foi cancelado inclusive por um dia a cobrança. Mas hoje, a obra avançou, está se cobrando o pedágio, mas você chega com rapidez aos municípios da região Sul, o que não acontece quando seguimos para o Posto Gil, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde. O que a gente vê é uma BR que cobra pedágio, com acostamento altíssimo e filas de caminhões, que causam insegurança e acidentes por toda a BR 163, um risco muito grande a quem trafega”, exaltou o deputado.

Indignado, Russi afirmou ser uma obrigação do Governo Federal garantir que a Rota do Oeste cumpra o que está estabelecido no contrato de concessão assinado em 20 de março de 2014 e válido por 30 anos.

São vidas que estamos perdendo

“Precisa achar uma solução, se continuar da forma que está, não se cobra então o pedágio. A empresa que ganhou o pedágio não fez a sua obrigação, não cumpriu o seu contrato, não podemos ficar parados! Alguns trechos não têm acostamentos, outros são meio metro, então não dá! Não dá para pagar R$ 6 ou R$ 7 reais no pedágio”, cobrou o deputado.

Outra cobrança ao DNIT ou a Rota do Oeste apresentada pelo deputado, foi uma indicação para que façam “uma área de escape na Serra de São Vicente”, local onde muitas vidas foram perdidas, entre elas, de uma criança que morreu no último sábado (6), em um acidente envolvendo um veículo de carga carregado com melancia.

“Desde meu primeiro mandato já fiz essa indicação ao DNIT, nós precisamos construir na Serra de São Vicente, uma área de escape e ali tem condição. O que é uma área de escape, é uma área, um limpo que de condição dos caminhoneiros que faltarem o freio, que tenham dificuldade de descer a serra tenham uma área de escape, têm acontecido acidentes ali constantemente e infelizmente não se faz algo, barato, simples e fácil”, declarou Russi.

Vgnoticias.com.br