Conectado por
Governo de Rondônia

Mato Grosso

Mais de 2,5 mil condutores foram detidos em operações da Lei Seca desde 2014 em MT

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Mais de 2,5 mil condutores foram detidos por embriaguez em operações da Lei Seca realizadas em todo o estado desde a primeira edição, em fevereiro de 2014, segundo dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública, que levam em conta as operações feitas até o dia 8 deste mês.

O levantamento aponta, ainda, que nesse mesmo período, outras 857 pessoas foram flagradas após combinarem bebida alcoólica e direção, nas blitze da Lei Seca.

Apenas neste ano, pelo menos 364 pessoas foram encaminhadas para a delegacia e devem responder a inquéritos criminais após serem autuadas por embriaguez nas operações, enquanto outras 127 devem responder administrativamente por conduzirem sob efeito de álcool.

De acordo com um levantamento feito pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), 28 blitze da Lei Seca foram realizadas desde o início deste ano em sete municípios: Cuiabá (16), Barra do Garças (1), Tangará da Serra (2), Rondonópolis (4), Cáceres (3), Juína (1) e Sorriso (1).

Ainda conforme o Detran, apenas este ano, as operações da Lei Seca já resultaram em arrecadação de mais de R$ 1,059 milhão em todo o estado.

Número da Lei Seca em Mato Grosso

Álcool x direção

Cuiabá está entre as cinco capitais do país onde mais se pratica o consumo de álcool ligado a direção, segundo dados da Pesquisa de Vigilância de Fatos de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

Segundo a pesquisa, 13,5% dos moradores da capital mato-grossense admitiram consumir bebida alcoólica e dirigir em seguida.

Tal porcentagem reflete-se no número de condutores flagrados nas operações realizadas este ano na capital, onde 297 condutores foram autuados por dirigirem embriagados – ou seja, respondem a inquérito criminal – e outras 111 pessoas foram flagradas e devem responder administrativamente por terem ingerido álcool antes de dirigirem.

Vale ressaltar que nenhuma quantidade de álcool é tolerada. No entanto, ao fazer o teste do etilômetro (bafômetro), o condutor que apresentar resultado de até 0,33 miligrama por litro de ar expelido é enquadrado em infração administrativa, penalizado com multa R$ 2.934,70 e suspensão da carteira de habilitação (CNH) por um ano.

Os condutores que apresentam resultado superior a 0,33 miligrama por litro de ar expelido cometem crime de trânsito e são punidos com multa de R$ 2.934,70, suspensão da CNH por um ano e prisão que pode variar de seis meses a três anos.