Conectado por

Mato Grosso

Jaguatirica resgatada em assentamento em MT se recupera de traumatismo craniano e deve voltar à natureza


Compartilhe:

Publicado por

em

Uma jaguatirica resgatada em um assentamento em Nova Ubiratã, a 506 km de Cuiabá, no dia 18 de julho, continua internada no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Sinop, a 503 km de Cuiabá, depois de sofrer traumatismo craniano.

A veterinária Elaine Dione, responsável pelo setor de atendimento de animais silvestres do hospital, onde o felino está desde o resgate disse que o animal poderá ser solto na natureza.

O animal foi tratado e já recebeu alta. No entanto, está aguardando uma análise de indicação de área da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) onde possa ser solto.

“Ele não chegou a ficar inconsciente, mas teve alterações de consciência nas primeiras 24 horas, após o resgate. A equipe diagnosticou a fratura e realizou o tratamento e exames necessários, foi vermifugado e agora ele está saudável”, contou.

Os veterinários confirmaram que se trata de uma jaguatirica macho adulto e deram o nome de Léo.

“Jaguatirica vem de ‘Leopardus pardalis’ (nome científico) e, por isso, colocamos o nome de Léo”, explicou Elaine.

Segundo Elaine, Léo está calmo e continua internado no hospital veterinário e está sendo monitorado por vídeo.

“Ele se adaptou bem ao cativeiro e está engordando. Ele não se sente ameaçado e aguarda a soltura sem estresse”, disse.

O resgate

A jaguatirica foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros próximo ao assentamento Cedro Rosa, em Nova Ubiratã. O animal se escondia embaixo de uma construção de madeira.

Moradores da região achavam que o animal se tratava de uma onça-pintada, pois estava estressado e agressivo, segundo os bombeiros.

O animal foi colocado em uma gaiola e levado para a sede dos bombeiros em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, passou pela Sema de Sinop e os socorristas constataram que a jaguatirica tinha um ferimento e a encaminharam para o Hospital Veterinário de Sinop.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *