Conectado por

Geral

Comissão de Direitos Humanos convida Gilberto de Deus a falar na Assembleia Legislativa do Amazonas


Compartilhe:

Publicado por

em

Os deputados José Ricardo Wendling (PT), Alessandra Campêlo (MDB) e Luiz Castro (Rede) aprovaram nesta terça-feira, 22 de maio, requerimento na Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participação na qual convidam o ex-secretário estadual de Infraestrutura, Gilberto de Deus, a falar sobre o relatório que ele diz possuir sobre o pagamento por obras não realizadas na Seinfra.

Em novembro de 2015, o ex-titular da Seinfra rompeu com o então governador José Melo e denunciou diversas irregularidades em contratos da secretaria. Segundo ele, umas das obras suspeitas era a Ponte do Pêra, em Coari – o contrato era de R$ 11 milhões e naquele ano teria sido pago R$ 9 milhões, mas apenas R$ 1,5 milhão foi executado.

Gilberto de Deus também denunciou o pagamento de R$ 26 milhões pela obra não realizada do monotrilho à empresa CR Almeida. O ex-secretário afirmou à época ter outras informações sobre contratos suspeitos na Seinfra, mas até hoje não teve a oportunidade de apresentar no âmbito do Poder Legislativo Estadual o relatório que afirmou possuir.

A proposta dos três deputados é que a audiência com Gilberto de Deus aconteça na próxima segunda-feira, 28 de maio, a partir das 14h, no plenário Ruy Araújo. Na reunião que aprovou o requerimento, os parlamentares sugeriram a participação dos demais deputados da Casa e também da imprensa que cobre diariamente os acontecimentos na Assembleia Legislativa/AM.

“A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa já tinha falado em relação a ele vir aqui, até agora não veio, está tendo algumas razões e não sabemos”, explicou José Ricardo ao falar sobre a necessidade de uma nova chamada via Comissão de Direitos Humanos.

“A gente sugeriu que ele possa vir a Assembleia Legislativa e que  a gente dê voz a ele como cidadão, que possa se pronunciar e nós, como deputados, que façamos a nossa obrigação que é ouvi-lo e fiscalizar caso ele tenha novas denúncias a apresentar e que a gente faça a nossa parte”, enfatizou Alessandra.