Conectado por

Mato Grosso

Treinamentos do Senar-MT oferecem mudança de vida para jovem reeducanda em Mato Grosso


Compartilhe:

Publicado por

em

Quem trilha nos caminhos do conhecimento encontra sempre oportunidades. Os atalhos podem ser mais atrativos, mas concentram algumas armadilhas. Maria Pereira, nome fictício, adotado por questões de segurança e anonimato, com apenas 18 anos, decidiu encarar um desses atalhos, e teve como consequência 27 anos de condenação. Após o julgamento, a reclusão tornou o caminho um pouco mais solitário, mas por outro lado mostrou para Maria uma de suas melhores companhias: o conhecimento.
O caminho de remissão é difícil e demorado, mas Maria se manteve firme na decisão de mudança e teve no filho de três anos o motivo para não desistir. “Por imaturidade me deixei levar por companhias que não me acrescentaram. Cometer o erro foi inevitável. Mas sempre tive muita vontade de reverter o que aconteceu, meu pensamento sempre foi sair e garantir o melhor futuro para meu filho”.
Ainda cumprindo a pena, em 2014 Maria teve contato com os treinamentos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT). Ela se encantou tanto com a possibilidade de aprendizado, que um a um, somaram 13 cursos enquanto estava reclusa. “Fazia todos que podia, mas, às vezes vinham os mesmos e eu não podia repetir. Ficava triste, mas ansiosa pelos próximos”.
Os treinamentos possibilitaram não só o conhecimento de técnicas de costura, de manipulação de alimentos ou a de práticas de cultivo, mas também auxiliaram na ressocialização do ser humano que existia por trás do erro. “As pessoas sempre enxergam com um certo preconceito. Sabia que seria difícil conquistar meu espaço de volta na sociedade, mas foi o primeiro contato com os instrutores do Senar-MT que me acendeu a esperança. Sempre gentis e livres de qualquer preconceito, ensinavam com muito carinho”.
Após cumprir parte da pena, o bom comportamento e a presença constante nas atividades promovidas pelo sistema penitenciário, colaboraram com a redução da pena de Maria para 12 anos. O dia da liberdade estava cada vez mais próximo e seria o mesmo do recomeço. “Eu descobri que eu podia ser diferente, com a reclusão adquiri maturidade e aprendi muito, por isso estava tão ansiosa para sair e colocar em prática tudo que aprendi”.
Em 2019, após cumprir sua pena, Maria deixou o centro de detenção. Com força e o desejo de mudança contou com dois pilares importantes para se reerguer: Amor e instrução. “Fui recebida com muito carinho pelo meu filho e meu marido. Conheci muitas pessoas boas que me deram oportunidades e orientação, mas nem sempre é fácil. As pessoas ainda julgam meu passado, mas tenho aprendido a lidar com isso no dia a dia.
Ainda com dificuldade para se recolocar no mercado de trabalho, atualmente Maria tem conseguido manter sua renda através de encomendas de artesanatos, que aprendeu fazer através dos treinamentos do Senar-MT. “Vendo bonecas de pano, faço peças como tapetes, toalhas, guardanapos, o que me pedirem. Por enquanto produzo tudo a mão, mas pretendo, assim que melhorar a situação, comprar uma máquina e me dedicar mais ao artesanato”.
Maria conta ainda sobre suas expectativas para o futuro e como tem feito questão de manter o aprendizado em sua rotina. “Depois que saí, fiz mais alguns treinamentos. Quero continuar aprendendo e focar na faculdade agora, sempre quis cursar jornalismo e está em minhas metas. Quero também ensinar tudo que aprendi nos treinamentos para as mulheres da minha igreja, acredito que assim como me ajudou pode ajudar outras pessoas”.
O Senar-MT tem capacitado a quem se abre à oportunidade de aprender. O caso de Maria é exemplo de como o conhecimento pode mudar de forma significativa a vida das pessoas. “Sou muito grata, muito feliz e satisfeita pelo Senar-MT ter entrado em minha vida. Consegui ver que nunca é tarde para mudar de caminho. Mudou a minha vida e eu só tenho a dizer: obrigada por tudo”.
Assessoria