Conectado por

Porto Velho

Recenseadores são capacitados para levantamento da população em situação de rua em Porto Velho


Compartilhe:

Publicado por

em

Resultado do levantamento vai subsidiar município nas políticas públicas sociais

Servidores e acadêmicos de psicologia concluíram, quinta-feira (17), uma capacitação para a realização do Censo Rua 2021. O treinamento aconteceu no auditório da Universidade Federal de Rondônia (Unir Centro). A pesquisa vai contribuir para que a Prefeitura de Porto Velho formule políticas públicas para atender demandas deste segmento. O treinamento foi realizado pela Secretaria de Assistência Social e da Família (Semasf).

O último censo nacional da população em situação de rua aconteceu em 2008. Em Porto Velho, o levantamento aconteceu pela última vez em 2016, quando foi constatado que 116 pessoas viviam nestas condições, sendo 85% homens e 78% entre a faixa de 18 a 59 anos.

A proposta da pesquisa é quantificar e investigar as características das pessoas em situação de rua. As informações colhidas serão utilizadas na formulação de políticas públicas dirigidas a essa população.

“Queremos saber quantos, onde estão e quem são estas pessoas para a produção de indicadores sobre a problemática. A partir daí poderemos apresentar aos gestores os resultados para inserção no orçamento do município com foco em projetos voltados a este público”, explicou Giovany Lima, psicólogo e técnico de referência do Serviço Especializado de Abordagem Social.

 Giovany Lima, psicólogo da Semasf

Giovany Lima, psicólogo da Semasf

Segundo ele, atualmente não existe número exato deste grupo social. A estimativa que 250 pessoas estejam em situação de rua atualmente em Porto Velho. Hoje a Semasf mantém um projeto de Segurança Alimentar e Higienização para a população em situação de rua em parceria com a Arquidiocese de Porto Velho, onde são fornecidas 180 refeições diariamente, além de possibilidade de banho e lavagem de roupa.

Os recenseadores receberam informações sobre a Política Nacional Para a População em Situação de Rua, sobre como traçar perfis de demanda, didática sobre o questionário e como aplicá-lo.

O censo será uma experiência importante, segundo Lua Clara Melo Fernandes, acadêmica do 10º período de psicologia da Unir. “Entrei no censo por conta do estágio no serviço especializado. Foi meu primeiro contato com este público. Acho que este serviço tem possibilitado o entendimento da psicologia nesta área social, afinal, a psicologia faz parte de muitas discussões sobre políticas públicas”, revelou a acadêmica, que compõe a equipe da pesquisa.

A estimativa da Semasf é de que o Censo Rua 2021 seja executado em meados de julho.

Texto: Renata Beccária
Foto: Wesley Pontes

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Prefeitura de Porto Velho