Conectado por

Acre

Quase 30 mil pessoas já tiveram complicações respiratórias no Acre em 2019


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

A Divisão de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Estado do Acre emitiu um boletim esta semana informando detalhadamente o número de casos de doenças respiratórias registrados nos municípios acreanos no primeiro semestre de 2019.

Conforme os dados, já ocorreram em todo o Acre 29.473 atendimentos ambulatoriais provocados por doenças respiratórias em 2019. Destes, 32,45% ocorreram somente em Rio Branco. Até o momento, já houve 1.031 internações hospitalares em todo o Estado.

Gráfico: Número de casos de doenças respiratórios por município, no Acre

O quadro atual da qualidade do ar e focos de queimadas contribuem diretamente para o aumento de complicações respiratórias na Zona Urbana. O gráfico apresentado indica que 59.726 toneladas de monóxido de carbono (CO) foram emitidas por queimadas e fontes urbano/industriais no Acre até o dia 1° de agosto de 2019.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, só em Rio Branco, no período de 1º de janeiro a 7 de agosto deste ano, já foram registrados mais de 1.412 incêndios ambientais. “Cerca de 90% desse número são dos meses de junho, julho e início de agosto”, informou Major Cláudio Falcão.

Dados do monitoramento de focos de queimadas e qualidade do ar no estado apontam que o acumulado de focos de queimadas, entre janeiro e início de agosto de 2019, prevalecem mais acumulados nos municípios de Rio Branco, Tarauacá, Sena Madureira, Feijó e Acrelândia. O relatório de queimadas no estado diz que o município de Santa Rosa do Purus é o que menos possui focos de queimadas acumulados.

Gráfico: Focos de queimadas acumulados por município Acre

O princípio do Risco de Fogo é de quanto mais dias seguidos sem chuva, maior o risco de queima da vegetação (INPE). “O risco de fogo crítico e alto deve predominar no Leste, nas regionais Alto e Baixo Acre, observa-se também na região dos municípios de Manoel Urbano, Santa Rosa do Purus, Jordão, Tarauacá, Feijó e Marechal Thaumaturgo”, informa o boletim. O risco de fogo médio é previsto em parte do Oeste e Leste do Acre. O risco de fogos baixo é previsto nos municípios de Mâncio Lima, Cruzeiro do Sule Rodrigues Alves.

Gráfico: Mapa de Risco de Fogo para o Estado do Acre em agosto de 2019

Medidas de prevenção

O departamento de saúde orienta a intensificação de seis medidas de educação em saúde para minimizar, tais como: não fazer fogueira próxima de material de fácil incêndio; atenção ao trefegar em área suscetível a queimada como BR,s, zona rural e lixões; cuidado ao descartar ponta de cigarro em lugar seco; colocar pano úmido, bacia com água ou umedecedor de ar em ambiente de maior permanência de pessoas; evitar exposição por longo período ao sol e evitar ficar em lugar com muita gente e ingerir bastante líquido.

Crianças, idosos e pessoas com doenças pulmonares e cardiovasculares são as mais suscetíveis a doenças decorrentes da poluição do ar. A vigilância em Saúde destaca: “todos que apresentarem agravamento e/ou sintomas como tosse, cansaço, ardência nas orelhas, nariz e ter dificuldade de respirar, devem procurar imediatamente os serviços de saúde mais próximos de sua residência”.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × quatro =

Publicidade
Casas De Apostas Online

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento