Conectado por

Justiça

Procuradoria dá parecer favorável para afastar Flordelis do cargo


Compartilhe:

Publicado por

em

A Procuradoria de Justiça deu parecer favorável para afastar a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD) do cargo de parlamentar enquanto durar a primeira fase do processo criminal.

No documento, a procuradora Maria Christina Pasquinelli Bacha de Almeida argumenta que apesar de o crime não ter ligação com o mandato, o cargo dela poderia “dar ensejo à ingerência na produção de provas” afetando o andamento do processo. As informações são do Extra.

Esse parecer foi dado pela procuradora em dezembro do ano passado, em um recurso no Tribunal de Justiça. O promotor Carlos Gustavo Coelho de Andrade recorreu ao Tribunal de Justiça depois que a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, negou pedido para afastar a parlamentar das funções.

A decisão agora cabe aos desembargadores da 2ª Câmara Criminal. O desembargador Celso Ferreira Filho, relator do processo na 2ª instância, determinou que o julgamento do recurso seja colocado em pauta. O assistente de acusação, o advogado Angelo Máximo, vai fazer a sustentação oral na sessão, que ainda não tem data marcada.

A defesa de Flordelis se manifestou no processo para que seja mantida a decisão da juíza Nearis dos Santos. A procuradoria concordou com o promotor.

“Não se pode esquecer, por outro lado, que dada a função exercida pela recorrida, e considerando a rede de relacionamentos travados durante o cumprimento de seu mandato, tem ela meios e modos de acessar informações e sistemas, abrindo-se-lhe um leque de oportunidades para descobrir paradeiros, moradias e locais de trabalho de testemunhas arroladas no processo”, escreveu a procuradora Maria Christina Pasquinelli Bacha de Almeida.

Crime

Uma operação deflagrada pela Polícia Civil do RJ e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), no dia 24 de agosto do ano passado, cumpriu mandados de prisão contra os envolvidos na morte do pastor Anderson do Carmo, 42 anos.

A viúva, deputada federal Flordelis (PSD-RJ), é uma das 11 pessoas denunciadas à Justiça e considerada a mandante do crime.

Metropoles