Conectado por

Porto Velho

Patrulha Escolar está pronta para garantir a segurança e a ordem em mais um ano letivo em Porto Velho

Publicado por

em

Responsável pelo patrulhamento no entorno das escolas, paradas na frente das instituições, ronda no interior e contato com a direção, professores, pais e alunos, a Patrulha Escolar em Porto Velho atua de forma distinta em três áreas da capital, assegurando a ordem no ambiente que envolve colégios públicos e privados.

Na zona Leste, as equipes são comandadas pelo 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), na Sul o trabalho fica a cargo do 9º BPM, e na região central até a Avenida Guaporé, as equipes pertencem ao 1º BPM.

Segundo o subcomandante da 2ª Companhia de Patrulhamento Especializado, tenente Francisco Renato dos Santos Gomes, três viaturas da Patrulha Escolar fazem a segurança de 32 escolas públicas na área do 1º BPM, mais as instituições particulares, inclusive as escolas de línguas estrangeiras.

As guarnições são divididas em três turnos – manhã, tarde e noite, e a equipe de projetos trabalha em ideias que possam ser desenvolvidas diretamente com as turmas nas escolas.

Para o novo ano letivo, que deve iniciar na primeira semana de fevereiro, além do trabalho de competência da Patrulha Escolar, os projetos voltados aos alunos devem ser evidenciados. “Nós estamos desconstruindo uma imagem que, por algum tempo, ficou ruim para parte da população. A ameaça que alguns pais faziam caso o menino não quisesse comer, por exemplo, era que iria chamar a polícia. Estamos aproximando a comunidade da autoridade policial com essa presença nas escolas de forma preventiva, orientativa”, afirma o subcomandante.

Um projeto piloto denominado “Escola Segura” já era desenvolvido em 2019 na escola Padre Mário Castagna, e a intenção é expandir a ideia para as demais, fazendo um “rodízio” entre as escolas estaduais. “Um aluno de cada turma é selecionado e um pelotão é formado. Os alunos tornam-se exemplo para os demais e eles seguem um cronograma de comportamento e atividades previstos pelo projeto”.

À frente da Patrulha Escolar do 1º BPM há quatro anos, o sargento Francisco Delmar explica que a segurança dos alunos, professores e direção das escolas envolve várias ações. “Realizamos a abordagem sempre há algum suspeito nas imediações dos colégios, fazemos palestras com os pais, ou responsáveis de alunos, e pontuamos a finalidade da patrulha, a importância da vigilância dos pais no acompanhamento da vida escolar dos filhos e da relação de proximidade entre pais, filhos e escola cultivando respeito e bons hábitos no convívio”.

O subcomandante ressalta que o momento político do país resgata o espírito cívico que estava se perdendo no ambiente escolar.

“Mas todo o trabalho que fazemos só é possível com o apoio e aceitação da direção e todo o corpo docente”, diz o tenente Renato.

 

O momento cívico nas escolas é uma opção que, sempre que favorável, a escola reúne os alunos para entoar o Hino Nacional e o de Rondônia com os símbolos (bandeiras) do país, estado e município hasteados.

“Nós falamos sobre a importância dos símbolos, sobre o valor do patriotismo, orgulho e amor à pátria. Realizamos ainda palestras de prevenção às drogas lícitas e ilícitas, ao bullying, à violência na escola e fora dela, e ainda explicamos sobre ato infracional e de indisciplina e suas consequências. Nesses quatro anos nós percebemos mudança positiva no comportamento escolar, apesar de ainda termos muitos registros de posse de entorpecentes, mas o trabalho da Patrulha Escolar tem sido muito importante para coibir essas ocorrências”, conclui o sargento Delmar.

A 2ª Companhia faz o patrulhamento de ênfase (levantando informações e reclamações de uma comunidade), o pontual (atuando diretamente em situações de ocorrências), da Maria da Penha (atendendo às mulheres vítimas de violência doméstica), a Escolar, a Força Tática, e atendendo aos ribeirinhos com as unidades no distrito de Calama e São Carlos. Atenção especial à Patrulha Escolar foi uma indicação do deputado estadual Jhony Paixão logo no início de sua gestão, em 2019.

FONTE:Secom – Governo de Rondônia