Conectado por

Aripuanã

Nexa realiza curso sobre plantio de mudas no viveiro que mantém em Aripuanã


Compartilhe:

Publicado por

em

Capacitação teórica e prática sobre cultivo de mudas faz parte do Programa de Educação Ambiental desenvolvido pela mineradora

Da Assessoria: Francielle Mesquita

Durante o mês de fevereiro, entre os dias 20 e 27, a Nexa por meio do Programa de Educação Ambiental (PEA) convidou a comunidade Aripuanense e colaboradores para aprender “Como plantar uma muda”. Ocorrido em duas turmas, o curso no viveiro de mudas, localizado no Setor Chacareiro Frei Canuto, em Aripuanã, ensinou aos 20 alunos participantes, todo processo de cultivo e cuidados com seis tipos diferentes de sementes.

 Selecionadas pelo Assistente Ambiental da Sete Soluções e Tecnologia Ambiental, Silvando Ribeiro Lins justifica a escolha das sementes para o curso. “Essas sementes foram escolhidas por estarem na época de germinar, onde são monitoradas até o mês de outubro que é o final para colheita de muitas delas, diferente da castanha que se recolhe em janeiro”. Uma delas foi a semente da seringueira, planta nativa da Amazônia de onde é extraído o látex, que transformado em borracha é usado para fabricar diversos produtos (pneus, luvas cirúrgicas, preservativos etc.  Já as sementes e o fruto do jatobá são amplamente utilizados no tratamento de problemas de saúde e também muito utilizado na construção civil, pois sua madeira é de longa durabilidade.

pinho cuiabano, também apresentado aos visitantes, serve para fazer lâmina, assim como a semente do bajão. O mogno, considerado madeira de lei, por estar ameaçado de extinção, a produção para fins comerciais se torna praticamente inviável, onde poucas empresas que possuem liberação para exploração comercial legal. Por fim, a castanheira, onde o cultivo de seu fruto é um alimento rico em proteínas e usado também como combustível ou na confecção de artesanato, também protegido por lei.

José Ribamar Marques, Identificador Botânico da Sete Soluções e Tecnologia Ambiental, também instruiu a capacitação e diz que se sente agradecido por deixar um legado despertando a consciência ambiental das pessoas. “Sinto uma imensa gratidão por estar contribuindo para o conhecimento e consciência das pessoas. Acredito também que colaborou para a redução das áreas desmatadas ou degradadas na região, consequentemente, isso atua positivamente na qualidade de vida das pessoas”.

Para a estudante, Rayane Paiva, que escolheu a muda da planta Buriti para levar para casa, disse que a aula no viveiro de mudas foi agregadora. “Minha experiência foi incrível e aprendi várias coisas interessantes. Eu não imaginava que poderia ter uma quebra de dormência nas sementes, por exemplo. Sempre soube que tinha o jeito certo de plantar, porém não sabia qual era ele, e nessa vivência que tive eu aprendi”.

Analista de Meio Ambiente da Nexa, Rafaela Ferrari pontua que o objetivo do curso é instruir pessoas e futuras gerações através dos olhos da educação ambiental. “O contato com as mudas e conhecer a sua dimensão na cadeia produtiva é muito importante, além de forma prática, ensinar a plantar uma muda. Com isso, divulgamos também o trabalho desenvolvido pelo Projeto Aripuanã no replantio de mudas.

Viveiro de Mudas: Estruturado em uma área com cerca de 3.300 m2, já foram cultivadas cerca de 45 mil plantas. Ao todo foram produzidas mudas de 145 espécies e atualmente o Viveiro possui 20.358 mudas de 120 espécies. Produzidas no viveiro, as mudas visam atender aos objetivos dos programas de Resgate e Conservação da Flora, Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), Subprograma de Compensação Ambiental por intervenção em APP e por Supressão de Indivíduos.

(AI)