Conectado por

Nacional

Ministro insinuou usar PF como polícia política e será convocado para depor em CPI, diz Calheiros


Compartilhe:

Publicado por

em

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), disse ao blog que o ministro da Justiça, Anderson Torres, insinuou, em entrevista à revista “Veja”, que vai usar a Polícia Federal como polícia política para levantar informações contra governadores e acuar a comissão. Segundo Renan, o ministro, com certeza, será convocado e terá de justificar suas declarações.

“O ministro da Justiça deu entrevista à revista ‘Veja’ dando declarações de que vai requisitar à Polícia Federal dados de investigações contra governadores, tudo num contexto de tentar acuar a CPI. Ele acabou insinuando colocar a PF como polícia política, isso não tem cabimento, não vivemos um estado policial”, afirmou Renan Calheiros ao blog.

O vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), já disse que irá apresentar um requerimento pedindo a convocação do ministro Anderson Torres para que ele explique as declarações. Ele disse à revista que irá solicitar à Polícia Federal informações sobre os inquéritos que envolvem governadores em desvios de recursos federais repassados aos estados para enfrentamento da pandemia.

Edição das 18h vai mostrar o raio-x da CPI da Covid; Nilson Klava explica as etapas

“Ele vai ter de justificar o que disse. Vai, com certeza, ser convocado. O vice-presidente Randolfe vai apresentar requerimento pedindo a convocação e vamos aprovar. Ele não pode usar o governo para pressionar senadores e governadores”, afirmou o senador alagoano.

Além do ministro da Justiça, a CPI da Covid deve analisar nesta semana também a convocação do ex-secretário de Comunicação Social Fábio Wajngarten. Também em entrevista à revista “Veja”, ele acusou o Ministério da Saúde de “ineficiência” e “incompetência” na aquisição de vacinas da Pfizer, prejudicando o calendário de vacinação no Brasil.

G1.globo.com