Conectado por

Nacional

Ex-patrão de Lázaro foi procurado pela família do maníaco para negociar rendição


Compartilhe:

Publicado por

em

RIO — A mulher e a sogra de Lázaro Barbosa de Souza,  de 32 anos, procuraram o ex-patrão do serial killer , que é advogado, para ajudá-las a convencer o fugitivo a se entregar. As duas estiveram na tarde desta terça-feira (22) no escritório de Wesley Lacerda, designado pelos familiares como representante do foragido. Na ocasião, eles buscaram contato com o homem mais procurado do Brasil, que está em fuga há duas semanas.

Lacerda empregou a mãe de Lázaro, Eva Maria de Souza , entre 2017 e 2020. Lázaro prestou serviços pontuais ao longo de 2018. Os dois já trabalharam para o advogado em uma fazenda localizada em Cocalzinho de Goiás, onde está baseada uma força-tarefa de buscas pelo serial killer. O defensor afirma ter sido procurado em seu escritório situado em Taguatinga, no Distrito Federal.

De acordo com o advogado, o último contato de Lázaro com a família ocorreu três dias após a chacina cometida em Ceilândia, no DF. O serial killer telefonou para a mãe quando já estava em fuga do cerco policial. Na ocasião, ele utilizou um telefone diferente do que usava habitualmente.

“A partir desse último telefone e de um outro que ele utilizava nós estamos tentando contato para negociar a entrega dele para a Justiça. A família quer convencê-lo — diz Lacerda, em entrevista ao GLOBO. Ele não tem respondido, mas mandei mensagens do meu celular e dos aparelhos da mulher e da sogra dele. Caso ele venha a ligar esses telefones, ou ligue para as famílias, nós vamos dar andamento.

Lacerda afirma que a mulher e a sogra o procuraram porque estão preocupadas, com medo e desejam que a caçada ao fugitivo acabe logo. Procuradas pelo GLOBO, as duas não quiseram se manifestar.

Segundo o advogado, as mensagens enviadas a Lázaro foram de voz. Nos áudios, a mulher e a sogra começaram a falar e, na sequência, o defensor entra na conversa.

“Eu expliquei que vou trabalhar para buscar garantias de que ele seja apanhado e tenha a integridade respeitada, que seja levado ao sistema (judiciário) e tenha um julgamento justo. A família diz que ele tem medo de ser morto pela polícia e acredita que ele não vai se entregar enquanto tiver esse cerco”, diz o advogado.

As buscas por Lázaro Barbosa Sousa entram no 15º dia, nesta quarta-feira, em Goiás. A polícia investiga pistas que podem ter relação com o homem que é procurado por uma força-tarefa formada por 270 policiais, cães farejadores, helicópteros, drones e a cavalaria. Uma perícia é realizada num veículo encontrado queimado perto da Gruta dos Ecos, no distrito de Girassol.

Na noite desta terça-feira, os agentes encontraram também um lençol sujo de terra e um serrote com cerca de um metro de comprimento em Águas Lindas. Nesta mesma data, agentes fizeram um cerco numa chácara em Cocalzinho de Goiás após receberem a denúncia de que Lázaro teria trocado tiros com um caseiro. Os policiais informaram à “TV Anhanguera” que um homem teria tentado arrombar a porta da chácara e o caseiro reagiu a tiros. O invasor reagiu e atirou também. Não há informações de feridos.

Ultimosegundo.ig.com.br