Conectado por

Cuiabá-MT

Desarticulada quadrilha de tráfico de drogas


Compartilhe:

Publicado por

em

A Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) de Mato Grosso deflagrou, ontem, a operação “Spot” em cumprimento a 37 mandados de prisão e de busca e apreensão contra uma organização criminosa que atuava atua na compra, logística e distribuição de entorpecentes na Grande Cuiabá.

A ação policial ocorreu após três meses de investigações e resultou na prisão de 18 pessoas e apreensão de uma adolescente. Três dos suspeitos são apontados como chefes do tráfico na capital. Eles foram identificados como Carlos Alexandre Fernandes Silva, 37 anos, Marcos Benedito Viana, 38, e Adriano Márcio de Souza, 38, conhecido como “Gaúcho”. Outro líder da quadrilha, Miqueias da Conceição, 20, teve o mandado de prisão cumprido dentro da Penitenciária Central do Estado (PCE), onde já estava detido.

Desde as primeiras horas de ontem, policiais civis delegacias da Diretoria de Atividades Especiais e Diretoria Metropolitana foram para as ruas cumprir 13 mandados de prisão preventiva da 13ª Vara Criminal Especializada em Entorpecentes, 10 mandados de busca e apreensão da 13ª Vara Criminal e 14 mandados de busca e apreensão expedidos pela 9ª Vara Criminal.

Segundo a polícia, 10 pessoas foram autuadas em flagrante por estarem relacionadas à apreensão de objetos ilícitos, entre eles, um revólver calibre 38, 15 munições de igual calibre, 02 balanças de precisão, R$ 10 mil em espécie, além de diversas porções de drogas.

De acordo com o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, a operação desarticulou uma associação criminosa para o tráfico, que agia de forma coordenada e coesa na distribuição de entorpecentes na região metropolitana, por meio de transportes clandestinos de drogas, imprimindo com isso aumento significativo na criminalidade.

“Durante o período de investigação constatou-se a existência de dois grupos criminosos (células) que atuavam comercializando a droga. Um deles atuava com o transporte de grandes quantidades de entorpecentes (transporte interestadual do Mato Grosso do Sul para o Mato Grosso), e outro responsável pelo tráfico doméstico, o chamado ‘formiguinha”, comércio de droga nas bocas de fumo da região metropolitana existindo uma correlação entre os dois grupos”, comentou.

O delegado adjunto Marcelo Miranda Muniz informou que uma das características da associação criminosa é o consórcio, montado com o objetivo de dividir os custos com a compra da droga e a logística do transporte, que também contava com o acompanhamento de batedores durante todo o trajeto. “Com isso realizava-se o pagamento à vista, possibilitando a entrega imediata”, disse o delegado. O trabalho de investigação também levou a apreensão de mais de 1,5 tonelada de maconha pela DRE, que teve apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em alguns dos trabalhos.

SPOT – De acordo com a Polícia Civil, o nome da operação vem do termo “logística”, um sistema em que as negociações de pagamento de frete normalmente são realizadas por meio de contratos em longo prazo com um ou mais fornecedores de transporte.

Contudo, existe outra modalidade que também pode ser explorada pelos embarcadores, conhecida como logística Spot, que se refere a “local”, outras vezes a “imediato”, em tradução livre do inglês para o português.

Segundo a polícia, o nome está relacionado a uma situação de mercado que envolve o pagamento à vista, com entrega imediata do produto ou serviço. Por isso, quando se fala em Spot para logística, entende-se que é preciso envolver outra transportadora no serviço de entrega rápida para atender a demanda.

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento