Conectado por
Governo de Rondônia

Porto Velho

Covid-19: Todos os profissionais de saúde de Porto Velho devem estar vacinados até sábado, diz prefeito

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Todos os profissionais de saúde que atuam na linha de frente de combate a Covid-19 em Porto Velho devem estar imunizados até sábado (30). A declaração foi dada pelo prefeito do município, Hildon Chaves, durante uma entrevista à CBN Amazônia, nesta quinta-feira (28).

Segundo Hildon Chaves, o município recebeu aproximadamente 24 mil doses da vacina para a imunização dos profissionais, que atuam tanto na rede estadual, municipal e em hospitais privados de Porto Velho, sendo 18.800 doses da CoronaVac e 5.170 do lote da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford com a farmacêutica AstraZeneca. Durante a entrevista o prefeito não informou quantos profissionais já foram vacinados e quantos faltam.

Sobre a imunização dos demais grupos, o chefe do executivo voltou atrás e descartou a possibilidade da prefeitura negociar diretamente com o instituto Butantan a aquisição de 89 mil doses da vacina contra a Covid-19.

“Mesmo que a prefeitura queira. Eu tenho o recurso, mas nós temos que respeitar o plano nacional de imunização. O que precisa é uma movimentação mais intensa, mais assertiva do próprio governo central. Não importa de onde venha a vacina, o que importa é que chegue. O povo brasileiro precisa ser imunizado”.

Vacina contra Covid-19 em Rondônia — Foto: Armando Junior/Rede Amazônica

Vacina contra Covid-19 em Rondônia — Foto: Armando Junior/Rede Amazônica

A Prefeitura de Porto Velho começou a vacinação contra a Covid-19 em 19 de janeiro. Atualmente, vacina apenas os trabalhadores de saúde que atendem pacientes com o novo coronavírus. Assim que mais doses chegarem ao município serão vacinados idosos com mais de 75 anos.

Hildon afirmou que diante do aumento no número de casos, o plano de vacinação precisa avançar com mais rapidez e para que isso ocorra, é necessário a união das instituições em um pacto pela vida. E que a solução desse problema passa pela chamada “universalização do programa de vacinação” do Governo Federal.

“Aonde está havendo queda brusca de contaminações mundo afora, são países que estão com alta taxa de vacinação. Nós, [Brasil] que somos a oitava economia do mundo, 50 nações começaram [a imunização] na frente do Brasil. Então algo está errado”, finalizou o prefeito.

FONTE: G1