Conectado por

Elza Amorim Carvalho

ABORTO, Sacrifício de Crianças


Compartilhe:

Publicado por

em

Nenhum homem há que tenha domínio sobre o espírito, para o reter; nem tampouco tem ele poder sobre o dia da morte; como também não há licença nesta peleja; nem tampouco a impiedade livrará aos ímpios. Eclesiastes 8:8

Somos severos em julgar os erros dos outros, mas não nos damos conta que estes mesmo erros, estamos cometendo, de forma disfarçada, maquiada.

Precipitamo-nos, para tomar decisões que achamos serem corretas, mas, nem sempre o que parece ser correto para o homem é a vontade de Deus.

Para satisfazer os seus interesses, as pessoas procuram sempre uma forma de se justiçar, um jeito para se apoiar e cobrirem-se dos seus erros. E, para implantarem o desejo de seus corações, elas acham quantas justificativas for necessário, para estriba-se.

Só que, o nosso coração, em muito, nos engana, a bíblia diz: Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?Jeremias 17:9. Em determinadas coisas, se seguirmos aos desejos do nosso coração, cairemos em um abismo sem retorno.

Devemos tomar muito cuidado como o que queremos, caso contrario, estaremos sendo levados para uma intensa armadilha do inimigo.

É muito engraçado a hipocrisia que existe; quando vemos alguma criança sendo maltratada, passando algum tipo de necessidade, nós nos comovemos.

Quando sabemos que alguém fez algo contra uma criança, de imediato, somos Juízes, e com urgência começamos apedrejar aquela pessoa.

Claro que, qualquer tipo de agressão seja a quem for, estar errado, principalmente quando a agressão e cometida contra seres tão pequenos e indefessos.

Lemos na palavra de Deus que povos como os Cananeus e midianitas, entre outros, ofereciam crianças em sacrifícios aos deuses, e sabemos que, no decorrer da historia, fica nítido, que essa prática é abominável aos olhos de Deus.

Temos conhecimento que coisas assim contrariam aos princípios da vida, e que, tal pratica é condenada por Deus. Os povos que assim faziam, eles adoravam a deuses estranhos, demônios. Pois, é Satanás quem se alimenta do sangue das pessoas.

Sabendo disto, chamamos de macabro tal ato, porque de fato é!

Enquanto o verdadeiro Deus fez o contrário, Ele deu o sangue de seu filho, um inocente, para libertar a humanidade das prisões das trevas.

Ainda hoje, há religiões que sacrificam crianças, pessoas que atraem inocentes para suas armadilhas, como um passarinheiro que seduz um passarinho para o seu laço, sem dúvida alguma, essas pessoas são usadas pelo inimigo, elas distorcem a vontade de Deus. Pois, a vontade de Deus é que todos nós tenhamos vida, e vida abundante.

Certo é; a maioria desaprova tais atos, visto que, ninguém tem o direito de sacrificar a vida de outros.

A vida é um dom de Deus, somente a Ele cabe a responsabilidade de fazer de cada um de nós aquilo que lhe apraz.

Porém, quando acontece um caso deste tipo, as autoridades, a mídia, os que se julgam bem feitores, a Sociedade, avançam para achar e condenar o culpado, porque casos assim merecem com certeza, punição severa, não só para os que praticam, mas também para os que apóiam.

Mas todas essas coisas parece ser apenas utopia, porque somos ages para condenar alguns por uma coisa, mas somos cúmplices de outros em atos similares. Matar é matar não importa a situação.

Qual diferença existe entre matar sacrificando, ou matar abortando?

Dizemos: é muito injusto atacar alguém que não tenha como se defender; dizemos: atacar alguém pelas costas é algo de pessoas traiçoeiras e os covardes.

Como então podemos aceitar a legalidade da Lei do aborto?

Acaso o aborto não é um tipo de morte?

De todas as espécies indefesas, uma criança no útero, nada a supera.

Aceitando a Lei do Aborto, nós não estamos sendo covardes demais atacando alguém que não tem a menor chance de se defender, é o pior, por alguém que foi escolhida para dá-lhe, a luz da vida?

Isso acaso é legal?

Porque somos tão cegos ao ponto de não ver que nos mesmos estamos assinando a nossa sentença de morte, acatando uma Lei tão infame e injusta.

Se alguém dá uma tapa em uma criança, queremos que a pessoa apodreça na cadeia, e aceitamos que pessoas furem com um espeto, até a morte, uma vida em desenvolvimento. Isso é Justo?

Tanto matar uma criança já nascida, como matar uma criança ainda no ventre, torna o seu feitor, um assassino.

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Gálatas 6:7

Tirar uma vida humana estar errado; o feto humano é ser humano; o embrião humano, é ser humano; a vida que é gerada dentro de outra vida humana, é humana, abortar então é crime, precisa ser proibido e não liberado, precisa ser exposto e não ocultado, precisa ser vetado e não legalizado.

A quem mesmo interessa tirar a vida de seres tão sublimes? Somente ao maligno, somos nós acaso aliados de Satanás?

Os homens querem infligir as Leis de Deus, fazendo leis próprias, leis essas que mancha a origem da vida, só para eles ter como se justificarem dos seus atos traiçoeiros e pecaminosos.

Porém, diante de Deus, todas as coisas estão patente, Deus nunca irá tomar o culpado por inocente, e não vai adiantar dizer; eu fiz assim porque a lei me dava razão. A lei da vida prevalece acima de todas as demais leis, e está é a lei de Deus, não matar. Não matarás. Êxodo 20:13.

As leis, humana, podem até nos dá certos direito, mas o que vai valer sempre, para a nossa vida é a lei de Deus. E quem matar a alguém certamente morrerá. Levítico 24:17

Tanto na barriga da mãe quanto fora, uma vida sempre será uma vida, matar é crime, precisa haver punição tanto para quem faz, como para quem participa.

Deveríamos ser justos e honestos com nós mesmos, já que a Deus ninguém pode enganar.   

Que diferença existe matar uma criança dentro do ventre ou matar fora dele? É porque fora nós estamos vendo e ela parece ser coitadinha?  

Pois saibam todos, que aquela que estar lá dentro, estar sendo formada por Deus; só Ele a ver, só Ele a toca, só Ele tem acesso, então, ela se torna mais especial ainda.

Se Einstein tivesse sido abortado, não existiria a Teoria da Relatividade;

Se Albert Sabin, tivesse sido abortado, muitas pessoas não seriam beneficiadas;

Se Moises tivesse sido abortado, o mar vermelho não teria sido aberto;

Se Elias tivesse sido abortado, os profetas de baal prevaleriam;

Se Ana tivesse abortado, o profeta Samuel não nasceria

Se Maria tivesse abortado Jesus não nasceria, e todo o ser humano estaria condenado ao inferno.

Cada pessoa, tem o porque da sua existência.

Pense Nisto!

Abortar é infanticídio,

Abortar é um Crime,

Abortar é Sacrificar!

E Você, aprova uma Lei Desta?

Codígo Penal Brasielrio artigo 123 – Decreto Lei 2848 de 07 de dezembro de 1940

Matar, sob a influencia do estado puerperal, o proprio filho, durante o parto ou logo após:

Pena- detenção, de dois a seis anos.

Digo eu isto segundo os homens? Ou não diz a lei também o mesmo?1 Coríntios 9:8

Será que antigamente os nossos Dirigentes eram mais sábios?

“Assim agente acaba perdendo o que já conquistou”