Conectado por

Religião

Visões: Lagoa, disseminação do coronavírus, grande fumaceiro/poeira, embarcação, enchentes/alagamento, dores no Brasil – Por Pra Pra Elza Amorim Carvalho


Compartilhe:

Publicado por

em

Na madrugada do dia 01 de março de 2020 eu tive outras visões:
Eu me vi no alto de um lugar com bastantes verdes, e olhei para baixo e vi uma grande lagoa, ou lago,  em volta era cercada de vegetação.
E acontecia algo ali, eu sentir que o ar ficou opaco, sombrio, pesado.
Parei de ver.
Eu não sei se era uma barragem,  ou se era a lagoa Rodrigo de Freitas.

Depois eu ouvir assim:  Parati 18.
Não sei o que é.
(Algo vai acontecer, que ira envolver essas palavras)

Depois eu via e ouvia uma história, não entendi direito, estava confusa para mim. Mas era sobre um pequeno grupo de Japoneses que foram para uma praça de rodeio, e foram falar do rodeio com o radialista, que teriam que agradecer
E eu ouvir:  o que tem tá infectando.
(Eu entendi que alguém doente, estava infectando outras pessoas, e que o radialista ficou infectado. O que ficou na minha mente foi coronavírus.)

Na madrugada do dia 02 de março de 2020, eu tive estas visões:
Eu vi uma área rural, haviam muitas árvores grandes naquele lugar,  e havia um espaço com gramas também.
De repente, eu vi muita fumaças, o fumaceiro era tão intenso que cobriu quase toda a vegetação.
Mas eu fiquei com dúvida se era fumaça ou poeira avermelhada, tinham clarões meio dourados, algo deste tipo.
Por detrás daquele lugar, onde eu me via, não se via nada além dessa fumaça ou poeira que parecia chegar aos céus. Era tudo cinzento. Minha mente voltou.

Depois eu vi uma grande embarcação,  não sei se era um navio ou un ferryboat, era na cor branca e haviam janelas.
E algo aconteceu ali.
Minha mente voltou.

Na madrugada do dia 03 de março, eu tive outras visões.
Eu vi uma área, havia  vegetação ali nos lados.
No centro, estava  tudo tomado por águas sujas, era um alagamento assustador.
O espaço correspondia a uma Cidade, estava parecendo um mar sujo, de  tantas águas, e parecia ser de enchente. Terrível alagamento.
Estou com dificuldades para descrevê-la.

Depois eu ouvia algo pesaroso sobre o Brasil, muita tensão,  preocupação.
Muita angústia.
Eu ouvia coisas sobre: tragédias, conflitos, desastres, enchentes, dengue, sarampo, chikungunya e outros.
Ouvia ainda sobre as consequências do aneurisma, e da cefalia.
Ouvia muitas falas de autoridades, de jornalistas, de pessoas comuns,  algo muito tenso.
Tive a impressão que o coronavírus havia se alastrado e a coisa tava feia no Brasil.

“Quem dera se a ganância dos homens fosse menor do que a prudência e  que realmente a vida fosse colocada em primeiro.
Quem dera tivessem prevalecido a sensatez e não as festas, as ilusões, as fantasias.
Ainda que tivessem desagrado uma parte, teriam evitado que duas partes sucumbissem.
Do que valerá ter pulado tanto e ficar candidato a sepultura?
Por falta de sabedoria o povo é emergido na escuridão”

Só há uma saída para o povo, para o Brasil, para o Mundo. Deus!
Arrependei-vos e credes no evangelho de Cristo.

Mas, quando vier isto (eis que está para vir), então saberão que houve no meio deles um profeta.
Ezequiel 33:33

Pra Elza Amorim Carvalho
[email protected]
https://praelzaamorimcarvalho.blogspot.com.

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento