Conectado por

Economia

Tudo que você precisa saber para ser um microempreendedor de sucesso


Compartilhe:

Publicado por

em

Ter um negócio próprio é o sonho de muitas pessoas, mas você sabe o que fazer para ser um microempreendedor? O termo está relacionado a pessoas autônomas que podem realizar serviços ou vender produtos como uma empresa, mas sem toda a burocracia de um grande negócio e seus encargos financeiros.

Caso tenha ficado curioso sobre o assunto, siga com a leitura do texto. Aqui, vamos explicar sobre como ser empreendedor é mais fácil e simples do que você imagina. Confira!

Como ser um microempreendedor?

Nos tópicos seguintes, iremos detalhar os principais aspectos relacionados ao microempreendedor individual, também chamado de MEI. Sendo assim, falaremos sobre o cadastro junto aos órgãos governamentais, o processo de cadastramento do CNPJ e os custos para realizar essa tramitação.

Também vamos explicar o que é importante para fazer seu negócio prosperar e não entrar nas estatísticas que indicam o fechamento da maior parte das novas companhias antes do primeiro ano de atividade. Desse modo, falaremos sobre planejamento financeiro, clientes e qualificação.

Antes de tudo, o que é um microempresário?

Para realizar todos os processos relativos à criação do seu negócio próprio, você precisa entender quem é o microempresário individual. Além disso, deve saber por que ele difere de outros tipos de empreendedores.

O MEI atua como qualquer outra empresa, tendo CNPJ e podendo emitir notas fiscais. Porém, ele enfrenta menos burocracias que as companhias de pequeno, médio ou grande porte. Fora isso, as taxas para aquele tipo de negócio são bem reduzidas, ainda mais quando comparadas a empreendimentos de outros níveis.

Contudo, é preciso que os ganhos anuais do microempresário atinjam, no máximo, R $81.000,00. Caso ele exceda esse valor, poderá arcar com taxas extras ou até mesmo ser enquadrado de forma automática em uma modalidade de negócio de uma categoria acima.

Como cadastrar sua empresa?

Por ser menos burocrático, o processo de abertura de uma microempresa pode ser feito diretamente pela internet. Com seu celular em mãos, basta que você diga ‘ok google’ e depois ‘Portal do Empreendedor’ para ter todas as informações que você precisa. Além disso, você pode ficar por dentro da atual situação do seu cpf dizendo ‘consultar cpf’, que ele te mostrará uma lista com todos os sites que podem te ajudar.

Já na plataforma do Portal do Empreendedor, terá uma opção intitulada “quero ser MEI”, é só clicar nela e, depois, em “formalize-se”. A partir daí, é necessário preencher seus dados pessoais, endereço e criar um nome fantasia para a sua empresa (esta não é uma etapa obrigatória).

Quando terminar o procedimento, será gerado um documento digital com todas as informações do negócio que você acabou de registrar, incluindo o CNPJ.

É preciso pagar alguma taxa para dar entrada na tramitação?

Não há nenhum custo para abrir um MEI. Como mencionamos no tópico anterior, o processo é simples e totalmente online, podendo ser realizado em poucos minutos.

Contudo, você precisa realizar um pagamento mensal que funciona como um imposto. Isto é chamado de DAS, ou seja, Documento de Arrecadação do Simples Nacional.

Ele é gerado em forma de boleto e possui um valor fixo. Algo diferente do que ocorre em outros formatos de negócios, em que o custo varia conforme o montante de vendas. Sendo assim, o preço atual varia entre R$ 50,90 (comércio e indústria) e R$ 55,90 (comércio, indústria e serviços juntos).

É importante que esse pagamento seja feito sem atrasos, garantindo assim os direitos dos microempreendedores. Estes incluem: auxílio-doença, licença-maternidade e aposentadoria.

Quais tipos de negócios podem ser trabalhados no MEI?

Podem aderir a um MEI, pessoas que atuam com serviços, indústria ou comércio. Na verdade, no site do Portal do Empreendedor, existe uma lista extensa na qual constam todas as ocupações liberadas para quem quer abrir um negócio nesse formato.

Entre as opções disponíveis, estão funções como: cabeleireiro, comerciante de bebidas, redatores, dubladores, fabricante de alimentos, maquiador, mecânico, engenheiro civil, arquiteto, etc.

Como começar a emitir nota fiscal?

O MEI não é obrigado a emitir nota fiscal para pessoa física, mas precisará do documento quando realizar transações com outras empresas. Para fazer isso, é preciso ir até a Secretaria da Fazenda do seu estado ou município e solicitar uma autorização junto ao governo.

Depois desse procedimento, o microempresário recebe um número de inscrição estadual ou municipal. Essa numeração precisa constar na nota fiscal para o documento ser considerado válido.

O MEI pode ter funcionários?

Sim, o MEI pode ter um funcionário. Porém, essa não é uma prática comum no segmento. Afinal de contas, o faturamento do microempresário não é tão alto e ter um colaborador com carteira assinada significa custos elevados. Dependendo do planejamento financeiro da empresa, isso pode acarretar desequilíbrio e endividamento.

Já entendi como ser um microempreendedor, mas como fazer meu negócio prosperar?

Criar sua própria empresa é o primeiro passo para alcançar seus sonhos e ter independência financeira. Contudo, ainda há um longo caminho pela frente. Afinal de contas, manter um negócio exige muita organização, mas algumas dicas podem ajudar nesse processo.

Qual a importância do cliente?

Valorizar o cliente é um fator chave para quem é empreendedor. Sendo assim, sempre seja transparente e cordial em suas ações e entregue serviços e produtos de qualidade. Também fique atento ao cumprimento de prazos. Em suma, valorize a relação desenvolvida, de modo a cativar o público.

Qual a importância do planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é tão ou mais importante do que a relação com o cliente. Afinal, são as finanças em dia que mantêm seu negócio funcionando.

Desse modo, é essencial calcular o capital de giro necessário para a empresa e manter um equilíbrio entre as contas a pagar e a receber. Ou seja, crie uma planilha para acompanhar sua movimentação e não tomar decisões que afetem a saúde monetária da organização. Quando isso ocorre podem surgir endividamentos, juros altos, perda de lucros e até o fechamento do negócio.

Qual a importância da qualificação?

A qualificação é o terceiro fator chave para o MEI que deseja ter um empreendimento próspero. Isso significa que você deve fazer cursos para aprimorar o serviço ou o produto que oferece, aumentando a qualidade final.

Também é importante qualificar-se em termos empresariais. Ou seja, melhorar sua capacidade de vendas, entender como trabalhar com marketing digital e saber definir o preço final daquilo com que trabalha são alguns exemplos.

Como ser um microempreendedor?

A CashMe é uma empresa de empréstimos que usa um imóvel como garantia de pagamento. Ela oferece juros abaixo da média de mercado e disponibiliza o pagamento do valor solicitado em até 144 meses (10 anos). Isso significa que você pode conseguir o capital que precisa para dar início e fazer seu negócio prosperar em longo prazo.

Com o empréstimo com garantia de imóvel, fica mais fácil investir em maquinários, equipamentos e infraestrutura sem passar sufoco na hora do pagamento. Além disso, vale a pena reservar parte do empréstimo para já montar seu capital de giro e deixar suas finanças ainda mais organizadas. Suas vantagens vão muito além do empréstimo com cartão de crédito e você não precisa se preocupar com anuidade ou grandes burocracias, incrível não?

Diante de tudo o que explicamos, você nota que realizar o sonho de ter um negócio próprio é mais simples do que o imaginado, não é mesmo? No caso do MEI, o processo é totalmente sem burocracia, as taxas são reduzidas e a lucratividade tende a só aumentar. Junte a isso um bom planejamento financeiro e tudo fica melhor.

Texto Comunicação

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento