Conectado por

Uncategorized

Suspeito esquece alvará de soltura dentro de carro após sequestro e roubo a motorista de Uber


Compartilhe:

Publicado por

em

Um motorista de Uber, identificado como A.W.P.D., 26 anos, foi sequestrado e amarrado antes de ter o seu veículo levado por um criminoso, na noite da última quarta-feira (17), no bairro Areão, em Cuiabá. O criminoso abandonou o veículo, mas esqueceu a carteira com a identidade dentro do carro e também documentos do judiciário, incluindo um alvará de soltura.
 
O suspeito foi identificado como Max Alexandre Leite da Silva, 29 anos. A vítima relatou no boletim de ocorrências que atendeu uma chamada de corrida da Uber e buscou o criminoso, que estava vestido com roupa de gari. Alguns minutos depois, ele teria pedido para buscar o seu primo (Max).
 
Porém, quando a vítima parou o carro para que o suposto primo embarcasse, entraram mais dois homens no veículo e anunciaram o roubo. O homem que estava vestido de gari assumiu a direção, enquanto que o motorista da Uber foi amarrado no banco traseiro e teve seus pertences levados.
 
Depois de algum tempo, os bandidos pararam o carro próximo a um matagal e levaram a vítima para lá. O suspeito vestido de gari então saiu com o veículo novamente e disse que voltaria depois de realizar compras no cartão do motorista da Uber, que foi obrigado a passar a senha.
 
Como o suspeito não retornou, os dois criminosos que ficaram no matagal resolveram fugir e deixaram o homem amarrado. O motorista então gritou por ajuda, até que populares o encontraram e acionaram a Polícia Militar. Ele estava com hematomas e escoriações na face.
 
Já próximo do bairro da lixeira, a polícia recebeu a informação de que um homem vestido de gari havia abandonado um veículo. Foi feito contato com a esposa da vítima, que relatou sobre o roubo e o sequestro.
 
Os militares foram até o veículo e encontraram a chave na ignição, além de uma carteira de bolso do Flamengo, com a identidade do suspeito Max e uma pasta azul de elástico, com documentos do judiciário, alvará de soltura e orientação para uso de tornozeleira eletrônica. Todos eles em nome do mesmo criminoso.
 
Após os fatos, a vítima foi encaminhada para a Central de Flagrantes, onde foi registrada a ocorrência. Nenhum dos suspeito foi preso até o momento. O caso será investigado pela Polícia Civil.(olhardireto)