Conectado por

Direto de Brasília

Senador Acir Gurgacz cobra medidas para salvar vidas e a economia

Publicado por

em

O senador Acir Gurgacz (PDT) cobrou mais efetividade do governo federal nas medidas de combate ao coronavírus e de apoio à economia nacional. Em vídeo divulgado nesta sexta-feira, 27, em suas redes sociais, o senador rondoniense disse que a prioridade da ação governamental tem que ser salvar vidas, mas que o governo não pode deixar de olhar com atenção para a economia do país. “Salvar vidas é mais importante que o ajuste fiscal, mas o governo também precisa socorrer a economia real, os empregos, os trabalhadores e as empresas”, frisa Gurgacz em seu vídeo.

Gurgacz, que defende o isolamento social e todas as medidas preventivas anunciadas pelos organismos de saúde pública, como a melhor forma de controlar a pandemia, considera que estas medidas precisam ser complementadas com mais recursos financeiros para a saúde, assistência social e também para socorrer a economia, diretamente para as pessoas e para as empresas.

O senador comparou ações de outros países, como Estados Unidos e Alemanha, que estão investindo mais de 10% de seus PIBs no combate à pandemia e no socorro à economia. “Considerando que o PIB brasileiro é de 7 trilhões de reais, deveríamos aplicar pelo menos 700 bilhões de reais no combate à pandemia e no socorro à nossa economia”, compara Gurgacz.

O senador sugere que o governo utilize as reservas fiscais e fundos para transferir renda, reduzir os juros e os encargos financeiros, para socorrer as pessoas e as empresas. “Da mesma forma que o governo precisa aumentar os recursos para a saúde, também precisa adotar medidas que protejam os empregos dos brasileiros, auxiliando as empresas, para que elas possam superar esse momento de crise e continuem fazendo a economia girar. A prioridade agora tem que ser conter a razão da crise – que é a pandemia. Mas também precisamos preservar a economia”, salienta Gurgacz.

O senador destinou R$ 2 milhões de sua emenda de bancada para ações de combate à pandemia em Rondônia, o que também fizeram todos os parlamentares do Estado, totalizando R$ 22 milhões. Acir também solicitou a prorrogação do seguro defeso aos pescadores artesanais de Rondônia, defende a ampliação do Bolsa-família, a redução dos juros nos empréstimos e no cartão de crédito, a redução dos encargos e o repasse de recursos do fundo eleitoral para a saúde. “Com estas medidas e a união de todos, vamos salvar vidas e a nossa economia”, observa Gurgacz.

Nesta segunda-feira, 30, os senadores devem votar o projeto que estabelece o pagamento de um auxílio emergencial no valor de R$ 600, por três meses, a pessoas de baixa renda, prorrogáveis por mais 3 meses, se necessário. A medida será deliberada por meio de sessão remota.