Conectado por

Mato Grosso

Secretaria de Saúde e MPE continuam atendimento no CDP de Juína para tratamento da hanseníase


Compartilhe:

Publicado por

em

A secretária de saúde de Juína, Leda Villaça afirmou ao Juína News que continua a segunda ação de tratamento de hanseníase no CDP de Juína, e que, a pedido da direção do Centro de Detenção, atendeu prontamente a reivindicação juntamente com o ministério público.

Leda ressaltou que os resultados são preocupantes, uma vez que as famílias dos presidiários também precisam ser avaliadas aqui fora, e também estendeu à preocupação a família de detentos de outros municípios.

A secretária Leda chamou a atenção para que outros municípios que tenham Centro de Detenção provisória e até mesmo presídios que se atenham para o problema da doença.

A preocupação da secretaria municipal de saúde também se estende com a população juínense que teve um grande índice de aumento da doença esse ano. E ressaltou que as unidades básicas de saúde estão fazendo avaliação e tratamento para erradicar a hanseníase em todo o município.

Leda afirma que há uma situação endêmica grave do surto da doença no município de Juína, porém a secretaria de saúde está fazendo um trabalho intensivo com as equipes de saúde para o combate e erradicação da doença na região, uma vez que é uma doença comum para a região que é o portal da região Amazônia, mas que pode ser diagnosticada e tratada com sucesso.

No ano de 2017 foram descobertos 75 casos da doença em decorrer de todo o ano, e em 2018 até a metade do ano foi detectado 212 casos novos. Infelizmente Leda disse que espera terminar o ano com mais descobertas, pois dessa forma se pode erradicar mais rápido a doença na região.

A orientação da secretaria é que as pessoas procurem uma unidade de saúde para fazer a avaliação da doença, uma vez que a doença não se manifesta somente através de manchas na pele, pois nem sempre essas manchas são visíveis, sendo muitas vezes apresentadas dores nas articulações e muitas vezes levam até mesmo o paciente a perder alguns movimentos do corpo.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *