Conectado por
Governo de Rondônia

AL/MT

“Poder é efêmero”, diz Botelho, saindo da presidência e assumindo 1ª secretaria da Assembleia

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Foto arquivo/Divulgação

Deputado estadual Eduardo Botelho (DEM), retirado da presidência da Assembleia Legislativa por força de decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), disse, após vitória da chapa na qual ocupa 1ª secretaria, que “o poder é efêmero” e que sai da presidência maior do que entrou. A chapa única foi eleita na sessão desta noite (23) e é liderada por Max Russi (PSB), novo presidente.

“Ninguém é dono de nada, eu não sou dono de cargo, eu estava presidente e agora estou 1º secretário, daqui a pouco não sou mais. A vida é assim, muda toda hora e temos de estar preparados para isso, se tem uma pessoa que está preparada para isso sou eu, se tem uma pessoa que não se esnoba com poder sou eu, o poder é efêmero, passa tão rápido, daqui a pouco você não é mais nada, o Sílvio continua sendo o mesmo Sílvio e o Wilson continua sendo o mesmo Wilson”, discursou, citando Sílvio Fávero e Wilson Santos, para exemplificar. “E o Botelho, que era presidente, continua sendo o mesmo Botelho”.

Botelho disse que não sabe como funcionam os trabalhos na 1ª secretária e, com humildade, pretende aprender a desenvolver essa nova tarefa, com responsabilidade sobretudo “no trato com o dinheiro público”.

Comentou ainda que vai ter mais tempo para entrar mais fundo nos projetos e questões que perpassam a Assembleia, como a dos aposentados e pensionistas, que aguardam conversações entre o Legislativo e o Governo, sobre a alíquota de 14% que vem sendo descontada no salário dos que recebem até o teto do INSS, R$ 6,1 mil.

Botelho também tranquilizou os servidores, afirmando que nada iria mudar drasticamente, porque o grupo vencedor vai conduzir os trabalhos da mesma forma como já vinham sendo feitos. “Estamos em uma equipe trabalhando sempre muito bem combinada, nada de tão grande vai acontecer”.

Botelho assegurou, por fim, que tentou de toda forma manter o petista Valdir Barranco na chapa, mas não conseguiu por impedimento jurídico. Barranco está na UTI em estado grave com Covid-19. Disse que o manteria na chapa “pela qualidade dele”, ainda que seja “abandonado” pelos colegas petistas. “Ele vai entender a situação (quando sair do hospital)”,  acredita o agora 1º secretário, destacando que o petista é um parlamentar de fácil trato.

Nova mesa ficou assim: Max Russi (PSB) como presidente; Dilmar Dal Bosco (DEM) – líder do Governo -, como 1º vice-presidente; Wilson Santos (PSDB) como 2º vice-presidente; Eduardo Botelho como 1º secretário e novo ordenador de despesas; Janaina Riva (MDB) como 2ª secretária; Delegado Claudinei (PSL) como 3º secretário; e Allan Kardec (PDT) como 4º secretário.

 

UNICA NEWS