Conectado por

Acre

O nome da ponte do Rio Madeira deve ser : Governador Paulo Nunes Leal


Compartilhe:

Publicado por

em

Foi, amplamente divulgado, que o governador Gladson Cameli, para dar maior destaque à inauguração da Ponte sobre o Rio Madeira, convidou para a efeméride, o Excelentíssimo senhor Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Consta que o Presidente Jair Bolsonaro aceitou o convite do governador do Estado.

A ponte já está quase pronta. Li, nos jornais e sites de notícias, que para conclusão da grande obra de integração física do Acre ao Brasil e ao Sub-continente da América Latina (contribui para isso), faltava apenas as cabeças da aludida ponte.

Para que o importante fato de integração fisica da América Latina seja ainda mais engalanado com a inauguração, é extremamente oportuno que o nome da Ponte seja de um personagem que lutou, efetivamente, para a integração do nosso país à Comunidade Andina.

Um nome importante, que merece nosso respeito, e que lutou pela integração do Acre com os países vizinhos, citaria o saudoso Francisco Wanderley Dantas. Dantas, ainda nos anos 70, chegou a construir a estrada que liga Rio Branco a Capixaba, no seu compromisso com a integração.

Era o lema de Dantas, visando a integração do nosso Estado, com o resto do mundo:

“Produzir no Acre, investir no Acre e Exportar pelo Oceano Pacifico”.

Francisco Wanderley Dantas, intelectual que era, pronunciou vários discursos propondo a integração da economia do Acre à economia brasileira. Propugnava para que o Acre contribuisse com a economia nacional, integrando a Amazônia ao Brasil, no escopo de desmontar a cobiça internacional pela rica Região. É só consultar sua obra escrita, especialmente o “Projeto Oeste”.

Além de Dantas, citaria como legítimo para dar nome a importante obra do Governador Gladson Cameli e do Presidente Jair Bolsonaro, o do saudoso governador do antigo território do Guaporé, Paulo Nunes Leal.

Para os que ignoram a biografia do ilustre brasileiro, Paulo Nunes Leal é o autor da ideia da construção da BR 364, que sai de Cabedelo na Paraíba até Cruzeiro do Sul, no Estado do Acre.

Em seu livro “O Outro Braço da Cruz”, Paulo Nunes Leal relata a ideia da construção da BR 364 de Brasília a Cruzeiro do Sul.

Em reunião dos governadores da Região Norte, no ano de 1960, em Brasília, Paulo provocou o Presidente Juscelino Kubitschek. Disse: Porquê o senhor não completa o outro braço da Cruz, integrando o Brasil de Norte a Sul e Leste a Oeste, fazendo uma estrada de Brasília a Cruzeiro do Sul?

Juscelino Kubitschek tomou. A estrada foi construída. A integração física do Brasil foi concluída.

Colocar o nome de Paulo Nunes Leal na ponte sobre o Madeira, seria uma justa homenagem ao saudoso governador do antigo Território do Guaporé!

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *