Conectado por

Acre

Integração de Rondônia e Acre com governo federal busca fortalecer a Amazônia como região estratégica para o Brasil

Publicado por

em

Continua após a publicidade

Rondônia projeta o fortalecimento da Amazônia através de ações integradas. Em reunião realizada na segunda-feira (9), na sede da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, em Porto Velho, o governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, pontuou as principais medidas para o avanço da região juntamente com o governador do Acre, Gladson Cameli, e o comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, general Luciano Batista de Lima.

A Amazônia é considerada uma região estratégica para o Brasil e para ela há um plano específico de defesa do governo federal em conjunto com os estados amazônicos. Rondônia e Acre se mobilizam para superar os desafios comuns aos dois estados, como melhorar os acessos terrestres, aumentar a oferta de voos, coibir os crimes transfronteiriços e a proteção do meio ambiente.

Em 2019, a Operação Verde Brasil, que envolveu o Exército e também os órgão de fiscalização dos estados, teve foco em ações repressivas com atuação na eliminação dos focos de calor. ‘‘No ano passado nós conseguimos um resultado de extremo sucesso. Nós comparamos o desmatamento do mês de outubro dos últimos 20 anos, e a queda das queimadas nos dois estados foi grande’’, assegura o comandante.

‘‘O Exército tem atuado muito bem aqui e a nossa região foi a que mais deu resultado’’, reforça o governador de Rondônia. Segundo o comandante, a região que contempla os estados de Rondônia e Acre foi responsável por 75% dos resultados positivos da Operação Verde Brasil em todos os parâmetros, inclusive o de efetivo empregado. O comandante lembrou que Rondônia emprestou o avião para apoio no georreferenciamento das queimadas no Acre durante a operação.

Rondônia e Acre foram responsáveis por 75% do resultado positivo da Operação Verde Brasil

Para este ano o cerco para proteção da Amazônia será ainda maior. O planejamento é voltado para um reforço na prevenção do desmatamento para evitar queimadas nos meses de verão amazônico. Para o general Lima, a integração das ações é fundamental e a proposta da 17ª Brigada de Infantaria de Selva é que os pelotões de fronteira que ocupam posições estratégicas na faixa de fronteira, onde há o chamado pavilhão de terceiros, funcione como base para outros órgãos de prevenção e fiscalização federais e estaduais. O trabalho de cooperação entre os órgãos é considerado essencial para a plena atuação, aumento do poder de combate, cumprimento da legislação, e a aplicação efetiva das medidas cabíveis a cada caso identificado de crimes transfronteiriços e ambientais.

DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Também foram anunciadas durante a reunião as ações que a 17ª Brigada de Infantaria de Selva realizará nos dois estados, como a estrada no município de Marechal Thaumaturgo (AC), Operação de Exames Oftalmológicos de crianças nas comunidades indígenas e ribeirinhas de Rondônia, no trecho de Guajará-Mirim até Pimenteiras do Oeste, prevista para os meses de março e abril, e ainda, Ações Cívico-Sociais (Aciso) em sete municípios do Acre e em Rondônia no trajeto ao longo de todo o Rio Guaporé e da BR-364,  a criação do conservatório de música em Porto Velho, doação de livros da biblioteca do Exército aos colégios militares dos dois Estados, Operação Teixeirão em Rondônia em parceria com a Casa Militar , e entrega de bustos dos heróis dos dois estados vizinhos.
Também participaram da reunião a primeira a primeira-dama de Rondônia e secretária da Assistência e Desenvolvimento Social (Seas), Luana Rocha, a primeira-dama do Acre, Ana Paula Cameli, e os secretários de Segurança Pública de Rondônia, coronel José Hélio Cysneiros Pachá, e do Acre, coronel Paulo César.

FONTE: Secom – Governo de Rondônia