Conectado por

Acre

Governo proíbe culto drive-in de igreja batista no Acre

Publicado por

em

Um decreto emitido pelo governo de Rio Branco, no Acre, determinou que os membros de uma igreja evangélica local não cultuem a Deus dentro dos próprios veículos.

O chamado culto “drive-in” foi uma ideia tomada pela liderança da  Igreja Batista do Bosque, a fim de contornar a proibição de se fazer encontros coletivos dentro dos templos.

O culto “drive-in” que seria realizado no último dia 03, no entanto, foi proibido pelo decreto que exige o uso de máscaras em locais públicos e proíbe aglomeração de mais de cinco pessoas em espaços considerados públicos.

A proibição da realização do culto drive-in da Igreja Batista do Bosque provocou revolta no ex-secretário do atual governo, Thiago Caetano. O engenheiro civil usou as redes sociais para questionar o motivo da proibição do culto que seria inédito na cidade: “perseguição às igrejas?”, perguntou.

“Para a surpresa de todos, a igreja foi impede de realizar o culto. Interessante ressaltarmos que há semanas testemunhamos supermercados lotados de pessoas, filas de banco lotadas de pessoas. Hospitais e farmácias lotadas, visita em obras lotadas de pessoas”, alfinetou o ex-gestor da secretaria de Infraestrutura e Urbanismo do governo Gladson Cameli.

Caetano se irritou pelo fato de “realizar um culto a Deus, sem nenhum tipo de contato, cada um dentro dos seus carros, isso não pode”, comentou.

O decreto imposto pelo governo exige uso de máscaras em locais públicos e proíbe aglomeração de mais de cinco pessoas em espaços considerados públicos, além de limitar a entrada de clientes nos supermercados, a fim de evitar a propagação do coronavírus. “É prudente perseguir as igrejas? É prudente impedir as pessoas de buscar a presença de Deus?!”, indagou o engenheiro.

Thiago finalizou o desabafo dizendo que se não há necessidade de ir aos cultos, “também não tem necessidade de realizar compras em supermercados (já existe delivery), não precisa abrir bancos (já existe transferências on-line), não precisa um monte de gente para vistoriar obras (já existem drones e câmeras que podem transmitir imagens ao vivo)”, afirmou.

Fonte: Gospel Mais e AC24Horas