Conectado por

Featured

Governo de Rondônia detalha ações para atender atingidos pela cheia


Compartilhe:

Publicado por

em

Marcos Rocha diz que Estrada Parque é a alternativa segura para acesso a Guajará Mirim.

O monitoramento feito pelas Defesas Civis Municipal e Estadual continua até o fim do período de inverno, e as reuniões da Sala de Situação serão constantes para revisão das ações.

Governo detalha ações para atender atingidos pela cheia em Rondônia

Na manhã de domingo (3) o nível do Rio Madeira atingiu à cota de 17,30 metros

Representantes de todas as secretarias de Estado, Defesa Civil Municipal , Corpo de Bombeiros e  órgãos federais envolvidos com a questão da cheia do Rio Madeira em Porto Velho e municípios atingidos, se reuniram com o governador coronel Marcos Rocha na manhã deste domingo (3) para deliberar ações de emergência . Há três semanas o Corpo de Bombeiros já trabalha no atendimento. No sábado  o nível do Rio Madeira chegou à cota de 17,30 metros.

A reunião da Sala de Situação aconteceu no Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar, onde foram pontuadas providências sobre trechos críticos de alagação na BR 425, que dá acesso à cidade de Guajará Mirim, em Porto Velho e distritos, e ainda sobre o atendimento às famílias atingidas e pacientes de hemodiálise que precisam se deslocar de Guajará Mirim até a capital três vezes por semana.

No ponto mais crítico da estrada, que fica na Ponte do Araras, onde pelo acompanhamento dos órgãos que compõem a Sala de Situação, a lâmina de água já encobre a estrutura de travessia, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) já está trabalhando com a colocação de uma elevação de 50 centímetros, serviço que necessitou a interdição provisória da BR-425. A previsão é que em até 48 horas o tráfego seja liberado.

“É inaceitável que esse problema antigo volte a se repetir sem que tenhamos uma rota de desvio. Vamos trabalhar para resolver todos os entraves da Estrada Parque, que é um acesso seguro para Guajará e, assim, podermos asfaltar e contar com a alternativa em casos de cheia como este”, disse o governador.

Para atender à necessidade dos pacientes, tanto os que fazem o tratamento de hemodiálise na capital quanto os de emergência, o Núcleo de Operações Aéreas (NOA), do Corpo de Bombeiros, tem auxiliado à Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e está fazendo o transporte em três viagens diárias. A capacidade de passageiros é de 21 pessoas por dia somando os três voos.

“Para amenizar a despesa com os voos e facilitar o atendimentos aos pacientes de emergência, a Secretaria Estadual de Assistência Social (Sea) vai verificar casas de apoio para a hospedagem em Porto Velho dos pacientes e familiares dos que fazem o tratamento de hemodiálise enquanto estivermos sob a condição de cheia, que dificulta o deslocamento terrestre”, acrescenta Marcos Rocha.

Fotos: Ésio Mendes e Daiane Mendonça