Conectado por

Agronegócios

Gestão operacional no campo: tecnologias fornecem gerenciamento automatizado e eficiente


Compartilhe:

Publicado por

em

Em qualquer empreendimento, a diferença entre os que fracassam e os que obtêm sucesso está na eficiência operacional. E, no campo, não é diferente. Além de contar com uma boa área de cultivo e insumos de qualidade, empresas e produtores rurais que querem garantir o lucro de seus negócios precisam ter uma boa gestão como foco central.

“Quando falamos de gestão operacional no campo, estamos nos referindo a todo o gerenciamento da fazenda, que vai desde o planejamento baseado em dados, passando pela organização e otimização de processos, até a mensuração de resultados”, explica o presidente da divisão de Agricultura da Hexagon, Bernardo de Castro. “Basicamente, o objetivo é garantir que as operações funcionem com a máxima qualidade e sem falhas ou desperdícios”, complementa.

No entanto, realizar essa gestão operacional pode ser um grande desafio – seja para as indústrias agrícolas e florestais, seja para o próprio produtor rural. Afinal, controlar detalhes como consumo de combustíveis, manutenção de máquinas, uso de insumos e fluxo de caixa, por exemplo, é uma tarefa extremamente complexa, ainda mais quando se tratam de grandes produções.

Na maioria dos casos, ter essa visão estratégica das operações agrícolas só é possível com a ajuda da tecnologia. Com cada vez mais recursos inovadores à disposição, aqueles que querem se manter à frente têm apostado em produtos que automatizam e monitoram as atividades,  simplificando o gerenciamento das tarefas e ajudando na obtenção de resultados positivos.

“Por meio de tecnologias como sensores e computadores de bordo integrados ao maquinário agrícola ou florestal, geram-se dados que permitem a compreensão precisa da realidade dos processos que acontecem nas áreas rurais e florestais. Visualizando e cruzando essas informações, a tomada de decisões estratégicas para as operações se torna muito mais acertada”, enfatiza Bernardo de Castro.

O software HxGN AgrOn Gestão Operacional, desenvolvido pela divisão de Agricultura da Hexagon, por exemplo, é um sistema de gestão de informações georreferenciadas das operações agrícolas e florestais, seja na fase de plantio, de cultivo ou de colheita.

Com um processamento avançado e automatizado, o produto coleta informações dos displays instalados nas máquinas e, com auxílio da nuvem, disponibiliza relatórios, mapas, gráficos e tabelas exportáveis em uma plataforma online.

Eficiência e lucratividade para gestão do campo

Com tantos dados estratégicos em mãos, empresas e produtores conseguem ter um controle muito maior sobre as operações agrícolas e florestais sob sua gestão, identificando as fases mais sensíveis da produção e tomando as ações necessárias para ajustá-las de forma ágil. Isso garante mais eficiência e, por consequência, redução de gastos e aumento em investimentos certeiros.

No caso do HxGN AgrOn Gestão Operacional, a análise de informações como tempo de operação, área percorrida, horas de trabalho e combustível utilizado pelas máquinas permite a elaboração de estratégias para melhora na gestão de frotas e nos tempos produtivos através do planejamento da trajetória dos veículos e de suas manobras.

Sem contar que é possível emitir alertas em determinadas situações, como para lembrar da necessidade de ações corretivas em máquinas não calibradas.

Os relatórios, gráficos e tabelas também ajudam na elaboração de um planejamento mais previsível das atividades, possibilitando ainda o acompanhamento comparativo entre o que foi planejado e o que está sendo executado.

“Tudo pode ser automatizado com um bom sistema de gestão operacional. Até a baixa de estoque e o pagamento de recursos, como insumos e terceiros, são tarefas que podem ser integradas ao software e gerar uma facilidade no dia a dia das indústrias agrícolas e florestais e até mesmo do produtor rural”, finaliza Bernardo.

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento