Conectado por
Governo de Rondônia

Rondônia

Fortalecimento, união, integração e poderes femininos capazes de preencher lacunas de maneira única e especial: tudo isso estará nas lembranças do primeiro Workshop Agroligadas – Capacitar para transformar, realizado durante toda a terça-feira, 17, em Cuiabá, com a presença de mais de 150 mulheres de todo o estado e com objetivo de discutir formas de comunicação e conexão mais eficientes entre campo e cidade. O evento foi promovido pelo Agroligadas, um movimento de mulheres ligadas ao agro com a missão de ser ponte entre o campo e toda a sociedade, através de ações de comunicação e educação, ajudando a promover uma cultura positiva do agro. “Neste workshop apresentamos de maneira detalhada o que é nosso movimento, para que ele serve, como ele funciona, e agregamos uma programação sintonizada com nossos ideais, capacitando as mulheres presentes a se engajarem no movimento e serem agentes de transformação. Por isso o nome, ‘capacitar para transformar’, pois além de acreditarmos no coletivo, acreditamos que cada mulher tem em si uma grande capacidade transformadora, de si mesma e dos que estão ao seu redor”, disse Geni Schenkel, presidente do movimento e que integrou o primeiro painel do dia, ao lado das Agroligadas Melissa Freitas, vice-presidente, e Thalita Araújo, da comunicação do movimento. A programação contou com grande apelo aos temas relacionados a comunicação, fazendo um alerta para a necessidade de novas maneiras de se posicionar e de criar diálogos e conexões. Esta, aliás, foi a temática principal da palestra “A comunicação que constrói pontes”, ministrada pela publicitária Claudia Luz, que tem grande experiência na comunicação agro e ocupa o cargo de Gerente de Comunicação e Marketing no Sistema Famato. Fenômeno recente nas redes sociais, a relações públicas Camila Telles veio de Brasília e subiu ao palco sob o tema “o Agro na Rede”, compartilhando suas experiências e sua trajetória, que culminaram em defesas apaixonadas do agro e vídeos visualizados por centenas de milhares de pessoas em todo o país. “Está surgindo uma nova voz no agro, e essa voz é feminina”, enfatizou Camila. Kamilla Andreatta é professora e pesquisadora da Universidade Federal de Mato Grosso, em Cuiabá, e aproveitou o workshop para conhecer melhor o movimento. “Conheci as Agroligadas através das redes sociais, acompanho de longe, e quando vi sobre o workshop resolvi participar para conhecer mais sobre o movimento e porque esses assuntos são muito relevantes”, afirmou a pesquisadora. Já a produtor rural Patrícia Brunetta, de Rondonópolis, integra o grupo desde o início e tem acompanhado de dentro a evolução do movimento. “As Agroligadas que organizaram este evento foram muito felizes na escolha da programação, das palestrantes e muito sensíveis na escolha dos temas abordados aqui. Pudemos identificar e multiplicar nosso espaço no contexto agro x cidade”, comentou Patrícia, que foi ao workshop acompanhada das filhas. A jornalista e apresentadora Dejane Arnhold foi mestre de cerimônias do evento. A produtora rural e agrocoach Adriane Steinmetz também foi palestrante e inspirou o público com sua história de superação e envolvimento com o campo e com a temática de desenvolvimento pessoal e protagonismo. Uma mesa-redonda com o tema “A força feminina do agro” reuniu três histórias de mulheres com forte atuação em suas áreas – Mariely Biff, Sônia Bonato e Letícia Scheffer – sob a condução da publicitária Fernanda Arantes, mediadora da mesa. Mírian Vaz, da Frente Parlamentar da Agropecuária, veio da capital federal palestrar sobre diálogos estratégicos entre poder público, entidades e sociedade. E, fechando a programação, a consultora de imagem e stylist Josi Grudzinski palestou sobre “Vista-se para o sucesso”. O Workshop Agroligadas – Capacitar para Transformar – contou com patrocínio de Acrimat; Tecnomyl; Aprosoja; Ampa; Aprosmat; Áster/John Deere; Andef e parceria de Famato, Senar-MT e Caule Criativo. Agroligadas, quem são? Agroligadas é um movimento de mulheres ligadas ao Agro, com o propósito de ser ponte entre o campo e a sociedade, por meio de ações de Educação e Comunicação, promovendo e incentivando a cultura positiva do Agro. Criado há pouco mais de um ano em Mato Grosso, já reúne mais de 250 mulheres de todo o estado e outras partes do país e, desde sua formação, foi criando corpo e unindo diversos perfis de mulheres: esposas de produtores rurais, agricultoras, pecuaristas, engenheiras agrônomas, veterinárias, jornalistas, economistas, administradoras e um grande leque de profissões, todas com atuação ligada ao agronegócio.

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Dentro do intercâmbio de experiências e boas práticas que tem feito com outros Tribunais de Contas, visando, especialmente, ao aperfeiçoamento do sistema de controle externo do Brasil, o TCE de Rondônia apresentou ao Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina soluções tecnológicas desenvolvidas com foco em áreas afetas à atuação das Cortes de Contas, entre as quais, jurisprudência (ePapyrus); processamento e julgamento das decisões exaradas pelo TCE-RO (SPJe); projeto, planejamento e gestão de informações (Jira); tomada de contas especial, assim como o Módulo de Controle de Análise de Softwares.

As atividades envolveram visita técnica presencial do TCE-SC, cujos auditores de controle externo George Pitsica (coordenador de jurisprudência) e Leonardo Manzoni (diretoria de informática) foram recepcionados pelo conselheiro Paulo Curi Neto, representando a Presidência da Corte, e os servidores Hugo Viana, Laís Pastro e Isabel Ávila, das áreas de TI, processamento e julgamento e jurisprudência, respectivamente.

Durante a estada no TCE-RO, a equipe do Tribunal de Contas catarinense pôde conhecer o recém-lançado sistema ePapyrus, construído especialmente para organizar e possibilitar a pesquisa de decisões colegiadas da Corte de Contas rondoniense, de forma rápida, fácil e intuitiva.

Entre outras informações, foi repassado aos visitantes que a ferramenta é totalmente “desacoplada”, permitindo, dessa forma, sua customização de acordo com as necessidades e peculiaridades da instituição requisitante.

ACRE TAMBÉM

O sistema de pesquisa de jurisprudência também foi apresentado, por meio de videoconferência, no último dia 11, por servidores da Setic e da SPJ/Jurisprudência do TCE de Rondônia para equipe do Tribunal de Contas do vizinho estado do Acre. Outras videoconferências, referentes ao ePapyrus, já foram realizadas também com os TCs do Distrito Federal, Rio Grande do Norte, Tocantins, Roraima e Pernambuco.

Os TCs de Santa Catarina e do Piauí, inclusive, estão em tratativas avançadas com o TCE de Rondônia para a formalização de um acordo de cooperação visando o intercâmbio de experiências em diversas áreas, especialmente no que se refere a levar o sistema ePapyrus para adotá-lo como ferramenta de pesquisa jurisprudencial.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *