Conectado por
Governo de Rondônia

Cuiabá-MT

Estado quer assessoria técnica para enfrentamento à Covid-19

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Edital para contração de assessoramento especializado deve ser lançado nesta semana, segundo Mendes

O Governo de Mato Grosso pretende contratar uma assessoria especializada para auxiliar as unidades hospitalares do Estado que prestam atendimento aos pacientes com Covid-19, doença provocada pelo coronavírus.

Uma das expectativas do governador Mauro Mendes (DEM) é poder contar com o assessoramento técnico do Hospital Albert Einstein (SP), referência nacional na assistência à saúde.

“Ainda nesta semana, vamos publicar o edital. O Governo vai contratar uma assessoria técnica especializada dos grandes hospitais do Brasil. Não sabemos quem vai ganhar, mas vamos torcer para ser um Albert Einstein da vida, porque eles fazem esse serviço para auxiliar os nossos hospitais a melhorar as nossas técnicas de tratamento, as técnicas de recuperação (dos pacientes) para diminuir o tempo de internação, aumentar a rotatividade salvando vidas”, disse Mendes.

A informação foi dada durante evento de entrega de 10 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), em Primavera do Leste (a 240 km Cuiabá).

Neste sentido, Mendes comentou que a capacidade de abrir novos leitos tem um limite.

“Não basta somente comprar respirador e os profissionais? E médicos que entendam e saibam operar uma UTI? E fisioterapeutas que saibam tratar corretamente? São um conjunto de medidas que, às vezes, se uma dessas pernas, se um desses pilares não funcionam bem, não temos resultados. Então, o governo está lançando mão de tudo o que é possível para minimizar o impacto da pandemia na vida das pessoas e na economia de Mato Grosso”, disse.

O governador lembrou que o Governo vem intensificando as campanhas de conscientização de enfrentamento ao coronavírus.

“Hoje, o Estado de Mato Grosso tem um decreto que estabelece medidas para garantir o distanciamento social. Essas regras têm que ser uma parceria com o poder público estadual e municipal porque as realidades são diferentes nas regiões e não dá para trabalhar de forma igualitária os 141 municípios. Nós, chamamos os prefeitos para esse compromisso, colocamos as nossas forças de segurança determinadas a apoiar o cumprimento do decreto estadual e eventuais decretos municipais”, disse.

Contudo, o apelo também é por maior envolvimento por parte dos mato-grossenses.

“Nós precisamos da colaboração da população por que tudo mundo está careca de saber quais as medidas que devemos adotar para diminuir o risco de contágio e de propagação desse vírus. Lamentavelmente, a gente percebe que em algumas regiões as pessoas não estão nem aí, parece que nada está acontecendo. Então, a população precisa colaborar”, pediu.

Mendes comentou ainda que Mato Grosso vem aplicando mais recursos que a União, em relação a tomada para instalação de leitos de UTI para Covid-19.

“Hoje nós estamos gastando em média R$ 15 milhões por mês, o dobro do que o governo federal. Ele não está habilitando novos leitos, não está mandando financiamento. E isso é um problema não só em Mato Grosso, mas no Brasil inteiro”, criticou.

Segundo as informações, o Governo Federal repassa apenas R$ 8,8 milhões.

Entretanto, observou que, se a União não faz seu papel perante o povo, o Estado assume a responsabilidade.

“Existe uma grande reclamação dos secretários, dos governadores. Porque é uma obrigação do SUS fazer esse financiamento. Mas, como ele não faz, nós assumimos o compromisso com as prefeituras e prestadores de serviços”, afirmou.

 

 

Diário de Cuiabá