Conectado por

Economia

Empresa fatura com a venda de coroas para velório em todo o Brasil

Publicado por

em

Mesmo em um cenário de crise, os números do e-commerce no Brasil continuam em ascensão. Conforme dados da 36° edição do relatório Webshoppers, publicada pela consultoria Ebit, o volume de pedidos online no ano de 2017 teve aumento de 3,9% em comparação ao biênio anterior – 2015 e 2016.

Continua após a publicidade

A comercialização de produtos e serviços na internet é parte mais que presente na vida do brasileiro, que adquire pela web os mais variados itens, dos mais tradicionais aos mais específicos. É atuando neste cenário desde 2010 que a loja online Coroas para Velório mantém seu faturamento em crescimento e atende todo o país.

Coroa de flores como alternativa rentável

Fundado por Eduardo Gouveia, o site surgiu após uma demanda específica do jovem empreendedor. Na época, Gouveia, que ainda era funcionário de uma grande empresa, perdeu o avô. Em busca de um arranjo de flores para homenagear o patriarca da família, Eduardo pesquisou na internet floriculturas que elaborassem a coroa e fizessem a entrega, mas não obteve sucesso. Teve então que sair em busca do arranjo por vários bairros da capital paulista, e foi a partir daí que percebeu um nicho a ser desbravado.

Hoje o Coroas para Velório, pioneiro neste segmento, fatura alto com as vendas. O grande atrativo do site é a possibilidade de estar em qualquer lugar do mundo e poder fazer o pedido para a entrega de uma coroa de flores no Rio de Janeiro, por exemplo. Isso facilita muito a vida de quem está longe do amigo ou ente falecido mas não quer deixar de prestar a última homenagem, por exemplo.

O e-commerce oferece produtos de diversas faixas de preço, tamanhos e tipos, com entrega gratuita e faixa de condolências também gratuita. O processo de compra é similar a qualquer outra loja online, do pedido ao pagamento. O envio pode ser feito para cemitérios, velórios, hospitais, residências ou qualquer outro endereço, mostrando que a tecnologia pode facilitar a rotina mesmo em momentos de consternação.