Conectado por

Medicina

Dor crônica pode ser aliviada com antidepressivos? Entenda


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

dor crônica é uma das piores condições que alguém pode enfrentar. Com diversas causas possíveis, ela tem o poder de afetar muitas regiões do corpo, interferindo negativamente na qualidade de vida e no bem-estar do paciente. Como se não bastasse, encontrar a origem do problema também não é uma tarefa simples, já que, em certos casos, nem os exames conseguem decifrar o que ocorre no organismo.

Esse são alguns dos motivos que fazem o tratamento para a dor crônica ser algo complexo para os pacientes. Não é raro que a prescrição de medicamentos mais ortodoxos, como anti-inflamatórios e analgésicos comuns não consigam amenizar a situação. Mas, em casos dessa natureza, a utilização de um antidepressivo, por exemplo, pode surtir efeito positivo.

De acordo com a Dra. Amelie Falconi, médica especialista em dor pela Santa Casa-SP e professora da pós-graduação de dor da Unidade de Ensino do Einstein-RJ, os antidepressivos são remédios adjuvantes no tratamento da dor crônica e funcionam alterando a forma com que os nervos processam essa dor. Reduzindo, assim, a sensibilização central. Mas, explicar isso ao paciente é fundamental para obter sucesso no combate ao problema.

“Sempre que eu prescrevo um antidepressivo para um paciente com dor crônica eu gasto um tempo da minha consulta explicando o porquê. Muitos já passaram por outros médicos que também prescreveram, porém, não aderiram ao tratamento, justamente por acharem estranho uma prescrição de antidepressivo”, relata a médica.

Além de não entenderem muito bem o motivo da prescrição de um antidepressivo para o tratamento de dor crônica, os pacientes ainda podem se sentir, de certa maneira, desamparados pelo médico. Já que, em alguns casos, nem mesmo exames conseguem detectar o motivo do problema.

“Muitos pacientes sofrem com os estigmas relacionados com as dores crônicas, entre eles o fato de a dor não aparecer em exames; que as dores deles são psicológicas, que as pessoas não acreditam em suas próprias dores, ou que eles utilizam as dores para chamar atenção. Então, se o médico não explica o porquê, e prescreve um antidepressivo para dor, o paciente vai pensar que é mais uma pessoa que não acredita na sua dor”, explica a Dra. Falconi.

Por fim, vale lembrar que apenas um médico pode prescrever a utilização de um antidepressivo. E, além de nem todos os medicamentos dessa classe terem o poder de aliviar dores crônicas, você ainda poderá colocar sua integridade em risco – até mesmo agravando o problema – ao utilizar um remédio por conta própria, ou indicação de alguém não capacitado.

“Sempre retire todas suas dúvidas com o seu médico. Ele que avaliou você, conhece o seu caso e é a melhor pessoa para esclarecer”, finaliza a Dra. Falconi.

Terra.com.br
Publicidade
Betfair

ALE-RO

ÓTICA DINIZ
Online Cassino


Desenvolvimento