Conectado por

Agricultura

Colheita de café conilon da Cooabriel atinge 70% do total; arábica da Cooxupé vai a 27,8%


Compartilhe:

Publicado por

em

Segundo o presidente da Cooabriel, Luiz Carlos Bastianello, o ritmo da colheita agora está dentro do normal, após um atraso inicial.

P U B L I C I D A D E

“A colheita foi iniciada com um pouco de atraso, mas há uma expectativa de que ela seja também um pouco mais curta que na safra anterior”, afirmou ele à Reuters, lembrando que houve uma quebra maior do que a expectativa.

O presidente da cooperativa reforçou que a safra está sendo menor que a prevista, mas não detalhou números.

Ele citou ainda a bianualidade, que é a quebra natural de produção pela fisiologia da planta, após a boa safra do ano anterior, que foi recorde.

“Teremos uma safra menor que a do ano anterior, mas seria precoce mensurar números, visto que a colheita ainda está em andamento”, disse.

Segundo Bastianello, a Cooabriel já teve depositado em seus armazéns aproximadamente metade das cerca de 2 milhões de sacas que projetou receber dos cooperados em 2023 — o volume total equivale a mais de 10% da safra projetada para canéforas do país (conilon ou robusta).

Ele disse ainda que, à medida que a colheita avançou, os produtores têm demonstrado maior interesse de vendas, em meio a preços relativamente altos para a variedade de café, enquanto no mercado internacional o robusta opera relativamente perto de máximas históricas registradas neste mês.

“Houve um aumento nas vendas, inclusive pelo fato de que neste período os produtores precisam custear as despesas com a safra. Contudo, o aumento ainda é tímido”, disse.

No final do mês passado, Bastianello havia dito à Reuters que o produtor estava segurando vendas, buscando “acertar o olho da mosca”, ou o melhor preço.

A safra brasileira de café canéfora, que tem também Rondônia como importante Estado produtor, está oficialmente estimada em 16,8 milhões de sacas, segundo a estatal Conab, com queda de 7,6% ante o recorde de 2022.

Já a produção de arábica deverá somar 37,9 milhões de sacas, alta de 15,9%, de acordo com a Conab.

Colheita de arábica

A colheita de café dos cooperados da Cooxupé, que trabalha apenas com café arábica, atingiu 27,84% do total previsto nas regiões do Sul de Minas, Cerrado Mineiro, Matas de Minas e média mogiana paulista, onde a cooperativa atua.

Segundo relatório publicado nesta quarta-feira com base nos trabalhos realizados até o último dia 23, o ritmo da colheita de da maior cooperativa de cafeicultores do Brasil segue o mais acelerado desde 2020, quando nesta época produtores tinham colhido 29,10% da safra.

Em relação ao índice da semana anterior, houve um avanço de seis pontos percentuais na colheita.

Os trabalhos com o arábica estão mais adiantados nas Matas de Minas, com 39% do café colhido, segundo a Cooxupé.

No Sul de Minas, principal região produtora do Brasil, a colheita atingiu 34,05%, enquanto na área da média moagiana, 37,11%. No Cerrado Mineiro, a colheita avançou a 15,75% do total.

 

 

Fonte: Reuters

Publicidade



Desenvolvimento
 Bônus de boas-vindas
Nossa webrádio parceira: dj90.com.br