Conectado por

Ji-Paraná

Cheia do Machado deixa 70 famílias desalojadas em Ji-Paraná, RO; nível do rio cai


Compartilhe:

Publicado por

em

O nível do Rio Machado, que banha Ji-Paraná (RO), município na região central do estado, registrou 10,41 metros na manhã desta sexta-feira (1º), indicando queda. Segundo a Agência Nacional de Águas (Ana), o Machado atingiu uma das maiores marcas da história no último dia 19 de fevereiro: 11,60 metros.

Em pouco mais de 10 dias de cheia, ao menos 70 famílias ficaram desalojadas e 10 desabrigadas. As desabrigadas foram encaminhadas a um abrigo organizado dentro do ginásio de esportes que fica no segundo distrito do município.

Além disso, ainda não há previsão de quando as famílias que continuam desabrigadas deverão voltar às suas residências, já que algumas ruas seguem alagadas.

“Ainda não temos uma previsão de quando todas estas famílias possam retornar para as residências, apenas quando não houver mais riscos todas as famílias irão retornar as casas”, destacou a coordenadora da Defesa Civil, Meire Zanettin.

Riscos de Leptospirose

Durante o período de cheia, a Secretaria Municipal de Saúde de Ji-Paraná fez um alerta aos moradores sobre o risco de contágio pela leptospirose.

Em todo município, são realizados treinamentos sobre a doença junto aos servidores de todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS). A intenção é que os profissionais orientem a população e intensifiquem os diagnósticos precoces.

O município também está fazendo a entrega de hipoclorito de sódio para que a comunidade trate a água usada nas residências, principalmente nas áreas alagadas. A distribuição é feita em todas as UBS de forma gratuita.

Estragos na Zona Rural

As fortes chuvas que caíram no município deixaram estragos também na zona rural de Ji-Paraná. De acordo com a prefeitura, muitas cabeceiras de pontes e bueiros foram danificadas pelos temporais.

Na área rural, equipes recuperaram trechos da Linha 86, após o travessão “N” e no aterro de bueiros metálicos da Linha 82. A Linha Santa Rita também foi afetada pela chuva e é atendida pelas equipes.

Outro local que recebeu o serviço de recuperação é a cabeceira da ponte da Linha 102. A força da água foi tão grande que o madeiramento também foi substituído.

No setor das linhas duzentos, segunda a assessoria da prefeitura da cidade, os trabalhos serão iniciados nesta semana. As linhas 16, 12 e 4 também tiveram pontos de alagamentos e o trabalho só será feito quando as águas baixarem.