Conectado por
Governo de Rondônia

Amazonas

Audiência pública proposta por Alessandra cobra mão de obra regional em Coari

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Nesta sexta-feira, 15 de junho, a partir das 9h, o auditório da UFAM, em Coari, recebe uma grande audiência pública para discutir a contratação de mão de obra regional nos grandes empreendimentos da Petrobras e Eletrobras no município. A atividade é uma propositura da deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB), que abraçou o tema este ano ao ser procurada pelos trabalhadores da montagem e manutenção industrial no Estado.

A primeira ação de Alessandra sobre o assunto ocorreu no dia 20 de abril com a audiência pública no plenário Ruy Araújo da Assembleia Legislativa. Coari está recebendo a audiência porque é um dos municípios nos quais as cooperativas e entidades de representação dos trabalhadores cobram mais fiscalização a respeito da contratação da mão de obra regional.

“Somente em Coari temos mais de 90 empresas atuando, mas com a geração de poucos empregos para os moradores do município. A maior parte da mão de obra vem de fora, ou seja, não tem contrapartida social. Faltam medidas e fiscalização dos acordos que tratam de mão de obra local nesses empreendimentos”, disse o presidente da Coopersolda de Coari, Isaías Ramos.

Para Alessandra, o objetivo da audiência é assegurar a empregabilidade da mão de obra altamente especializada que compõe a categoria, como soldadores, eletricistas industriais, caldeireiros, lixadores, supervisores, encarregados, funileiros, instrumentistas e projetistas. Segundo estimativa dos sindicatos e cooperativas da montagem e manutenção industrial, mais de 10 mil trabalhadores desse segmento estão desempregados no Amazonas, enquanto as empresas vêm priorizando a contratação de mão de obra de outros Estados.

“Somente em Coari temos mais de 90 empresas atuando, mas com a geração de poucos empregos para os moradores do município. A maior parte da mão de obra vem de fora, ou seja, não tem contrapartida social. Faltam medidas e fiscalização dos acordos que tratam de mão de obra local nesses empreendimentos”, disse o presidente da Coopersolda de Coari, Isaías Ramos.

Como não é prerrogativa do Parlamento Estadual legislar sobre questões trabalhistas e sim do Congresso Nacional, a deputada Alessandra sugeriu que vai indicar ao Governo do Estado a criação de medidas legais e administrativas que criem regras que priorizem a contratação de mão de obra regional. Uma espécie de compensação social e ambiental.