Conectado por

Saúde

7 práticas que prejudicam o cérebro

Publicado por

em

Orgão mais complexo do corpo humano, o cérebro é responsável por regular a maioria das funções corporais e mentais. Ações como respirar, piscar, andar, comer, pensar, interpretar, entre outras, são executadas porque passam pelo controle cerebral. Para garantir que o cérebro funcione de maneira saudável é necessário abrir mão de alguns hábitos prejudiciais.

“Muitas práticas rotineiras podem afetar o bom funcionamento cerebral e, se repetidas regularmente, podem agravar o quadro. Então, é importante manter um estilo de vida saudável para preservar as atividades do cérebro e evitar doenças”, explica Sidney Gomes, neurologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

“Mesmo mantendo um estilo de vida saudável, é recomendável o acompanhamento médico para descartar qualquer tipo de alteração no cérebro e, em caso de diagnóstico de uma doença, indicar o tratamento mais adequado e eficiente”, ressalta o neurologista.

O especialista aponta 7 hábitos que podem prejudicar o desempenho do cérebro. Confira na galeria. 

1. Dormir pouco altera os processos cognitivos e pode impactar negativamente na capacidade de concentração. – O ideal é dormir de 7h a 8h por noite, mas sempre respeitando o relógio biológico de cada um.

7 práticas que prejudicam o cérebro

2. Não tomar café da manhã também é prejudicial. – Depois de passar muitas horas sem comer, o nível de açúcar do organismo cai bastante e atrapalha o fornecimento de nutrientes no cérebro. Não se deve pular a primeira refeição do dia. Se não tiver fome ou tempo, deve-se comer, pelo menos, uma fruta ou um iogurte.

© iStock

7 práticas que prejudicam o cérebro

3. Consumir alimentos calóricos em excesso pode acelerar o processo de envelhecimento do cérebro e deixá-lo mais vulnerável à degeneração. – É recomendado ter uma dieta equilibrada e praticar atividades físicas e regulares.

© iStock

7 práticas que prejudicam o cérebro

4. O excesso de açúcar pode reduzir a capacidade do cérebro de produzir uma substância química que auxilia no aprendizado e na formação de novas memórias, além de combater a depressão e a demência. – Uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos regulares são a alternativa.

© iStock