Conectado por

Religião

Igreja em Bucha testemunha livramento em ataque russo: “Como Daniel na cova dos leões”


Compartilhe:

Publicado por

em

A cidade de Bucha, na Ucrânia, viveu a barbárie da guerra ao ser tomada pelas tropas russas.

Após a saída do exército russo da região de Kiev, corpos de civis ucranianos foram descobertos por moradores nas ruas, quintais e em valas comuns na cidade, levantando acusações de crimes de guerra.

“Os russos deveriam pegar esses tanques e desfilá-los em Moscou. O fato de tirá-los de Bucha é um milagre de Deus! Este é um milagre de Deus e nada mais”, declarou Oleksandr, um morador local, à CBN News.

As tropas russas se retiraram no final de março. Após quatro meses, as autoridades da Ucrânia ainda estão encontrando corpos, que já totalizam mais de 1300, na região de Kiev.

De acordo com a CBN News, em Bucha, peritos forenses exumaram mais sete corpos de civis, encontrados recentemente, enterrados na floresta.

“Os tiros nos joelhos nos dizem que as pessoas foram torturadas. As mãos amarradas nas costas com fita adesiva dizem que as pessoas foram mantidas reféns por muito tempo e tentaram obter qualquer informação delas”, explicou Andrii Nebytov, da Polícia Regional de Kyiv, a um repórter.

Em oração dia e noite


O pastor e 167 membros se esconderam no porão da igreja e ficaram em oração. (Foto: Reprodução/CBN News).

Em meio ao ataque cruel das tropas russas em Bucha, uma congregação inteira de 167 cristãos, junto com o pastor, recebeu livramento de Deus, enquanto se escondiam no porão da igreja.

Eles permaneceram juntos durante dias, orando, cantando e lendo as Escrituras durante a invasão da cidade até que soldados russos descobriram o esconderijo.

“Quatro soldados russos entraram no porão, o resto estava lá”, contou o pastor Sergey Anohin, apontando para o local. “Eram 15 deles. Quando eles entraram na igreja, eles chutaram a porta e nos xingaram”.

Os militares permaneceram no templo por vários dias e constantemente desciam até o porão para intimidar os cristãos, mas não fizeram nenhum mal à congregação.

“Agora sabemos que durante esse tempo, enquanto buscávamos refúgio no porão, as pessoas ao nosso redor, muitas delas estavam sendo mortas pelos russos, muitas delas estavam sendo torturadas, comentou Anohin.

Para o pastor ucraniano, Deus os protegeu devido à oração incessante da igreja.

Na cova dos leões


A congregação de mais de 100 pessoas passou dias orando e lendo a Bíblia. (Foto: Reprodução/CBN News).

“Ficou muito claro para nós que Deus estava nos cuidando, tudo estava em suas mãos. Como na história de Daniel na cova dos leões, estávamos sob a proteção de Deus”, testemunhou o líder.

Dias depois que o exército ucraniano expulsou os russo de Bucha, Anohin se reuniu com a agência de segurança da Ucrânia e descobriu que ele e sua igreja haviam corrido grave risco de morte.

“Um dos soldados russos, seu apelido era ‘Skipper’, vinha conversar conosco no porão todos os dias”, lembrou o pastor.

“Pensamos que ele era um soldado gentil. Mas o serviço de segurança ucraniano nos disse que ele era um dos soldados mais cruéis e, aparentemente, ordenou vários assassinatos e foi responsável por torturar pessoas em porões ao redor de Bucha”.

Oração por Bucha

Hoje, os moradores estão tentando se recuperar e voltar à vida normal, mas ainda lutam com os traumas da guerra.

“Gostaria que as pessoas orassem por nossa cidade para que Deus desse paz aos corações das pessoas. Há muita raiva e ódio pelo que os russos fizeram conosco, mas estou orando para que Deus nos toque e nos dê paz”, declarou o pastor Anohin.

E concluiu: “Gostaria que nossa cidade fosse lembrada por aqueles que foram leais, aqueles que protegeram Bucha e foram fiéis a Deus”.

Fonte: Guiame, com informações da CBN News

Publicidade
Betfair
ÓTICA DINIZ
Online Cassino


Desenvolvimento