Conectado por

Elza Amorim Carvalho

Visão e translado – Por Elza Amorim Carvalho

Publicado por

em

Visão e translado: Combate Coronavirus/matando as pessoas; fiscalização do poder público; revista/coronavirus; Mortes e IBGE; Cidade coisas destruídas; incêndio; drogas e traficante; acidente viaduto; doenças respiratórias e máscaras, construção e via; outras.

Continua após a publicidade

Na madrugada do dia 14 de maio de 2020 eu tive essas visões e também fui trasladada em meu espírito e ouvir e vi sobre estas coisas:

Eu ouvia muitos assuntos diferentes, mas não conseguia assimilar, ouvia muito barulho, discordâncias, tumulto e ouvir assim:

“174 (creio que foi este o número exato que eu ouvir) anos, combatia com carvão, hoje há quem combata matando” então eu vi uma estatua de um homem sentado, ou agachado, um monumento, parecia ser de bronze e ao mesmo tempo eu a via feita de carvão.

E, eu vi ainda como um reflexo, um copo transparente, descartável, com água e parecia ter dentro uma pedra de carvão.

Foi quando eu vi dois esgrimas, um estava vestido todo de branco, botas brancas e capacete com a proteção da frente transparente, era igual à vestimenta de proteção contra a pandemia, ele lutava usando uma longa espada, brilhante, e o outro estava de roupa normal, calça Jeans e camisa de botão, eu tive a impressão de estar usando sandálias de tiras, pareceu-me, que este apenas levantavam os braços para se defender.

Parei de ver.

(eu entendi que há 174 anos, este homem, o qual fizeram este monumento, combateu uma pandemia usando carvão e água, e que hoje estão combatendo querendo matar as pessoas. O esgrima protegido são os que dizem estar combatendo o coronavirus, mas a verdade é que estão matando  o cidadão normal, o qual estar sem pode se defender)

Depois eu via algo, era tipo uma opressão e imposição, eu sentia que havia muitas manobras, muito barulho, confusão, minha cabeça parecia querer explodir com aquilo que eu via e ouvia, mas eu não conseguia decifrar. Ao mesmo tempo eu entendia que o povo estava sendo oprimido demais, e tantos no poder, não há ninguém que se manifeste contra a opressão sobre o povo, e eu ouvir essas palavras: “a fiscalização do poder publico”

Minha mente voltou

(dentro de mim eu sabia que era a falta de respeito com as pessoas, o poder público estar ultrapassando os limites da impunidade, autoridades estão fazendo o que bem entende, usando o dinheiro público como quer, estão fazendo leis e realizado decretos opressor e ninguém faz nada, não há um que se levante e defenda as pessoas, as pessoas estão sendo obrigadas a se submeter a situações deprimentes e de intensa humilhação por causas de homens cruéis que estão no poder) algo vai acontecer.

Eu, na minha mente pedia a Deus que me direcionasse para eu achar quem foi que combateu há 174 anos, contra a pandemia.

De repente, eu vi uma capa de revista, tinha fotos de algumas pessoas, a fotos destas pessoas estavam em preto e branco, parecia bem antiga, e eu vi nomes em letras vermelhas como destaques. Vi na horizontal escrito “Coronivírus” eu vi outros nomes referente à manchete, mas eu não conseguir ler, e vi ainda o nome da revista em destaque, era um nome pequeno, de poucas letras, não sei se era, Época, Isto É, mas era alguma similar, a revista era grande e a capa bonita.

Parei de ver

(o que eu entendi que alguém vai acordar e vai lançar uma bomba na cara destas autoridades infames que agem na atualidade)

Depois eu ouvia algo muito tenso, preocupante, investigatório, eu só lembro que ouvir isto:

“em 94 para hoje quem desviou o IBGE (penso que foi este órgão) morreu naquela cena.

Minha mente voltou

(penso que essa contagem dos acometidos por coronavírus será desmascarada e a verdade virá à tona, muitos vão pagar caro por tanta destruição causada para inocentes) Algo relacionado ao IBGE ganhará destaque

Depois eu vi um homem, repórter de rua, ele mostrava as coisas que teriam sido destruídas na Cidade, teve um momento que ele estava em frente à parte debaixo do Elevador Lacerda, e ele apontava para varias coisas que já não existia, e ele apontou para o lado do elevador, para aqueles casarões da ladeira da Conceição da praia e para a Praça Caíru e disse: ali mesmo, havia um monumento que pegou fogo.(este já aconteceu)

Neste instante eu vi um fluxo muito intenso de carros, eles vinham pela via debaixo, de frente as embarcações marítimas, e, o outro fluxo voltava pela rua de cima, que vem da Cidade alta. Mas, ao mesmo tempo parecia não ser mais ali, pois eu tive a impressão de ter visto um viaduto sobre a suposta área do mercado modelo.

Minha mente voltou

(eu não sei do que se trata, apenas eu vi)

Depois eu vi um lugar no alto, é parecia haver um tangue dentro de uma área de laje, uma piscina, e vi algo ao lado parecendo uma madeira, pedaço de pau, havia algo inflamável enrolado, e eu o vi encostar na suposta água, e eu vi um fogaréu subir, foi algo muito rápido e intenso, pegou fogo em tudo.

Minha mente voltou.

Depois eu vi um grupo de homens no motinho, roda, eles tentavam fazer algo, e eu vi quando outro homem chegou entre eles e tocou no ombro de alguns, então a roda abriu-se um pouco, estavam todos de costas para mim, e o que chegou disse: “vocês querem descobri…”

Minha mente voltou

(Penso que isto seja algo relacionado a traficantes e usuários de drogas, o que for será sabido)

Depois eu vi uma rua dessas de mão dupla com um passeio ao meio, neste passeio, ao longo de toda rua, eu via algumas pequenas plantas e vi muito lugares semi esburacados, estavam com pedaços de ferros, vigas, como se fossem construir colunas, pilastras para passarela, ou viadutos, eu vi as terras cavadas e os pedaços de varas de ferro fincadas de dentro do chão para cima.

Depois eu vi vários caixões pretos.

Minha mente voltou

(o que eu entendi é que, esse suposto viaduto, na maneira que foi construído vai matar varias pessoas)

Depois eu vi uma torra de arvore, não muito frondosa, e vi alguém passar um facão e começar a tirar as lascas para talhar, confeccionar bancos.

Minha mente voltou

(penso que isto seja desmatamento)

No dia 13 de maio de 2020, era aproximadamente às 14:30hs quando eu tive essa visão, eu vi novamente de forma muito rápida, quatro pilastras, elas sustentavam um viaduto, ou ponte, eram altas.

Algum acidente aconteceu.

Minha mente voltou.

Depois vi novamente um raio-x de um pulmão, estava meio escuro, e ouvir: “infecção por causa do uso de máscaras”

Minha mente voltou

Então disse: Ouvi agora as minhas palavras: se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, a ele me farei conhecer em visão, em sonhos falarei com ele. Número 12:6

Pra. Elza Amorim Carvalho

# redes sociais