Conectado por

Acre

Trecho na BR-364 no Acre segue interditado após igarapé transbordar e invadir rodovia


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

Trecho foi interditado na quarta (17) para elevação da pista com pedras, mas nível do Igarapé Cajazeira segue subindo e inundou mais ainda a rodovia. Equipes do Dnit, Corpo de Bombeiros e PRF-AC estão no local.

trecho no km 280 da BR-364, sentido Sena Madureira/Cruzeiro do Sul, interior do Acre, segue interditado nesta quinta-feira (18) com o transbordamento do Igarapé Cajazeiras. A água do igarapé começou a invadir a estrada na noite de terça (16), continuou subindo na quarta e o trecho precisou ser interditado.

Imagens divulgadas nas redes sociais na quarta já mostravam uma fila de veículos parados às margens da BR sem conseguir atravessar o trecho alagado. Nesta quinta, a fila de veículos aumentou.

Equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) começaram na quarta os trabalhos de elevação da pista com pedras. O Dnit estimava utilizar cerca de 250 metros cúbicos de pedras, que parte veio de Rondônia, mas foi necessário mais devido o aumento no nível do igarapé.

O Igarapé Cajazeira transbordou com a enchente dos Rios Iaco e Caeté, na região. Além do Dnit, equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Rodoviária Federal (PRF-AC) estão no local.

“O nível do rio subiu absurdamente, estava muito alto e demandou um volume muito maior de pedra. Têm muitos veículos parados, o que dificulta a manobra dos equipamentos, o acesso das pedras. Tudo ficou mais difícil”, explicou o superintendente do Dnit, Carlos Moraes. 

Inicialmente, Moraes havia dito que o trecho interditado chegava a 100 metros. Contudo, com o aumento do nível dos igarapes, as águas continuaram inundando a rodovia. A nova previsão de conclusão dos serviços é para o início da noite desta quinta.

“Conforme o nível foi subindo, a abrangência da água acaba sendo maior, mas não me passaram ainda essa medição, no meio [do trecho] tem mais de um metro e meio de profundidade e para medir fica complicado”, concluiu.

Enchente em Sena Madureira

 

O nível do Rio Iaco em Sena Madureira está em 17,50 metros na medição das 12h, segundo dados do Corpo de Bombeiros. Essa é a segunda maior cheia desde 1997, quando rio marcou 19,40 metros. Em 2012, o manancial também estava com o mesmo nível desta quarta.

Dez bairros da cidade estão afetados pela enchente do rio. De acordo com a coordenação de Assistência Social do Município, cerca de 210 famílias estão desabrigadas e foram levadas para os 20 abrigos montados na cidade. Outras mais de 134 estão desalojadas.

Os 20 abrigos estão montados em escolas, ginásios esportivos, galpões e igrejas. Na segunda (15), a prefeitura da cidade decretou situação de emergência devida à situação.

Situação de emergência

 

Diante da situação, o prefeito da cidade, Mazinho Serafim decretou, na segunda (15), situação de emergência por 180 dias. O decreto foi publicado na edição desta quarta (17) do Diário Oficial do Estado (DOE).

Nesse período de 180 dias, de acordo com o documento, fica autorizada a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem nas ações de resposta ao desastre. Essas ações vão ser coordenadas pela Defesa Civil e Gabinete de Crises.

Também fica autorizada a convocação de voluntários para reforçar as ações e para a realização de campanhas de arrecadação de recursos e doações, com o objetivo de facilitar a assistência à população afetada.

As autoridades administrativas e os agentes de defesa civil, diretamente responsáveis pelas ações, em caso de risco iminente, estão liberados a:

  • Adentrar nos imóveis, para prestar socorro ou para determinar a pronta evacuação;
  • Usar de propriedade particular, no caso de iminente perigo público, assegurada ao proprietário indenização, se houver dano;
  • O decreto libera ainda o início de processos de desapropriação, por utilidade pública, de propriedades particulares comprovadamente localizadas em áreas de risco;
  • Por fim, estão dispensadas as licitações de contratos de aquisição de bens e de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação dos cenários dos desastres, desde que possam ser concluídas no prazo máximo de 180 dias.

 

G1

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!
Publicidade
Casas De Apostas Online

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento