Conectado por

Entretenimento

Tirado de time campeão, Edilson responde torcida do Palmeiras: “Nada apaga a história”


Compartilhe:

Publicado por

em

O ex-atacante Edilson se manifestou nesta segunda-feira em uma rede social respondendo aos torcedores do Palmeiras que o tiraram da foto do time campeão paulista de 1993, em bandeira exposta no Allianz Parque no último sábado, em clássico com o Corinthians, pelo Brasileirão.

Por causa da coincidência do Dérbi ser disputado no dia 12 de junho, os palmeirenses relembraram o título estadual de 1993. Na foto, porém, Edilson, que depois atuou pelo rival Corinthians, foi substituído pelo mascote de uma torcida organizada do Verdão.

– Mesmo vocês fazendo isso eu me orgulho muito em ter vestido essa camisa tão grande do futebol mundial. Palmeiras, clube que me deu a oportunidade de ser conhecido no mundo inteiro, muitos títulos conquistados com muita dedicação e suor – escreveu.

– Sempre fui um profissional grato a todos os clubes que passei, principalmente a quem abriu as portas no início da minha carreira. Se um dia fiz algo de errado, peço desculpa a todos os torcedores e diretoria. Quanto a ser corintiano, foi uma opção, escolha e tem que ser respeitada. Nada apaga uma história – completou.

Edilson teve uma boa passagem pelo Palmeiras no início da década de 1990. Ele conquistou os títulos do Paulistão de 1993 e 1994, do Rio-São Paulo de 1993 e do Brasileirão de 1993. Depois do Verdão, atuou por Benfica, Portugal, e foi vendido para o Kashiwa Reysol, do Japão.

Pelo Corinthians, o ex-atacante se destacou com títulos do Brasileirão de 1998 e 1999 e do Mundial de Clubes da Fifa de 2000. Em 1999, ele venceu o Paulistão pelo Timão contra o Palmeiras em decisão ficou marcada pelas embaixadinhas e a briga generalizada entre os atletas.

Edilson, do Corinthians, no momento em que faz a embaixadinha que causou confusão no Dérbi — Foto: Caio Guatelli/Agência Estado

Edilson, do Corinthians, no momento em que faz a embaixadinha que causou confusão no Dérbi — Foto: Caio Guatelli/Agência Estado

Ge.globo.com