Conectado por
Governo de Rondônia

fatalidade

Terceiro militar morto em ação das forças de segurança será enterrado nesta quinta

Publicado por

em


Continua após a publicidade

O soldado Marcus Vinicius Viana Ribeiro, de 22 anos, lotado no batalhão de Infantaria Motorizado foi atingido na segunda-feira, quando estava no Complexo do Alemão. O velório começa às 14h15 e o sepultamento está previsto para as 16h15.

Rio – O corpo do terceiro militar morto na megaoperação das forças de segurança nos Complexos da Penha, do Alemão e da Maré, será enterrado na tarde desta quinta-feira, no Cemitério de Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte da cidade. O soldado Marcus Vinicius Viana Ribeiro, de 22 anos, lotado no batalhão de Infantaria Motorizado foi atingido na segunda-feira, quando estava no Complexo do Alemão. O velório começa às 14h15 e o sepultamento está previsto para as 16h15.

Marcus Vinicius morreu na manhã de ontem. Ele estava internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital municipal Salgado Filho, no Méier. Segundo o Comando Militar do Leste (CML), o militar foi ferido na perna. Na terça-feira, outros dois militares foram enterrados no Cemitério de Engenheiro Pedreira, em Japeri, na Baixada Fluminense. O cabo Fabiano de Oliveira Santos, 36, e o soldado João Viktor Silva, 21, também morreram durante confrontos que aconteceram durante a megaoperação.

Nesta quinta, pelo quarto dia consecutivo, as forças de segurança realizam uma megaoperação nas comunidades. Segundo informações do porta-voz da intervenção militar, Coronel Carlos Cinelli, os efetivos do Exército seguem atuando nas regiões com o objetivo de combater o crime organizado. Até agora, mais de 70 pessoas foram presas e meia tonelada de drogas foram apreendidas.

Moradores reclamam da truculência e abusos do Exército e da Polícia Militar — como invasão de casas, revistas por homens em mulheres e revistas em celulares (o que é ilegal). Além disso, moradores do Complexo do Alemão relatam que há corpos no alto da mata em uma localidade como Serra da Misericórdia. Desde a segunda-feira, cinco pessoas morreram.

A Defensoria Pública acompanha a ação do Exército nos três Complexos. O Exército não comentou, até agora, as denúncias dos moradores.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *