Conectado por

Featured

Síndrome do pensamento acelerado: será que você tem?

Publicado por

em

É cada vez mais comum as pessoas se queixarem de ansiedade, inquietação, dificuldade de manter o foco, sensação de cansaço contínuo inclusive ao despertar, dores específicas como de cabeça e nas costas e dificuldade para dormir, entre tantos outros sintomas.

Continua após a publicidade

À soma desses fatores foi dado o nome de Síndrome do Pensamento Acelerado, desencadeado pelo excesso de estímulos, informações, multifunções profissionais, sociais e até familiares, gerando pessoas mais reativas, intransigentes e facilmente irritáveis com dificuldade de manter o foco e de se manter no momento atual.

Essas pessoas estão sempre pensando no próximo passo, sem focar e otimizar o momento presente, sofrem por antecipação, criam situações que podem nunca vir a acontecer.

Todas essas problemáticas mentais levam a reflexos e somatizações no corpo e na qualidade de vida de quem apresenta a Síndrome.

Os distúrbios causados, além dos já citados, podem ser gastrites, quedas de cabelo, déficits de atenção e efeitos secundários como mau humor e falta de empatia.

Acredita-se que cerca de 80% da população seja portadora da síndrome e que independe de profissão ou classe social, mas que viva com esse excesso de informações, cobranças sociais e profissionais. A necessidade vendida pela mídia do que é ser bem sucedido também contribui para que os pensamentos fiquem soltos e desconectados um do outro.

Um exemplo prático é tentar se perguntar qual é a sua prioridade hoje, ou essa semana, no mínimo você vai subdividir em prioridade profissional, social e familiar e ainda assim não vai conseguir escolher uma única prioridade, por que esse senso se perde em quem tem a síndrome do pensamento acelerado.

O gerenciamento do tempo e da rotina são totalmente comprometidos nesta síndrome, levando muitas vezes a sensação de ter um milhão de coisas pra fazer e não conseguir fazer absolutamente nada.

Como diminuir os efeitos da SPA?

  • Ter prioridades reais e focar nelas, diminuir a quantidade de estímulos externos ao realizar a atividade eleita como prioridade
  • Silenciar sua mente, isso se consegue através de atividades como meditação, Yoga e realização de exercícios físicos, isso deve virar rotina
  • Inteligência Emocional: Muito se fala no desenvolvimento desta inteligência, e ela é importante para que você gerencie qual a real prioridade neste momento da sua via vida e não sofra com isso, racionalize, foque e resolva simples assim mesmo
  • Procurar ajuda especializada, psicólogos, psiquiatras. O uso de algumas substâncias (vitaminas, medicamentos e suplementos) podem auxiliar na melhora da ?SPA?
  • Ajustar hábitos de vida, tentar incluir descansos e pausas no decorrer do dia, ouvir música, leituras prazerosas, atividades de lazer, etc.

Considerações Finais

Viver no momento atual onde uma enxurrada de informações cai todos os dias em nossa cabeça, numa sociedade baseada em excessos, extremismos, verdades e padrões absolutos é comum que a maioria das pessoas fique estressada e comece a desenvolver uma série de sintomas que em conjunto desencadeiam a Síndrome do Pensamento Acelerado.

O segredo é o equilíbrio, ter amigos, fazer o que gosta profissionalmente, cuidar da mente e do corpo com atividades e hábitos saudáveis de vida, não se deixar levar pela onda gigante de informações e tecnologia, metas e prazos que parecem que vão te engolir.

Respire, pense, foque e ?mate? um leão de cada vez, você se sentirá mais produtivo e assertivo.

E é importante frisar que sempre é possível recorrer às novas tecnologias, medicina e ciência para encarar as dificuldades, ao menor sinal de dificuldade, não fique sozinho, procure um profissional de sua confiança.

Fonte

  • Escrito por Dra. Tatiana Emy de Freitas, formada em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Nove de Julho ( 2009). Mestre em Sanidade e Segurança Alimentar pelo Instituto Biológico SP (2012) no campo de monitoramento de micotoxinas e doutora em Ciências pelo Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (2017), Docente na área científica e farmacêutica. Experiência em técnicas laboratoriais avançadas, como espectrometrias e HPLC.