Conectado por

Geral

Sigilo da fonte: Jornalistas criticam Associação Mato-grossense de Magistrados


Compartilhe:

Publicado por

em

Um grupo formado por dezenas de jornalistas tem articulado um abaixo-assinado em repúdio ao posicionamento da Associação Mato-grossense de Magistrados (Amam), que ameaçou processar um veículo de comunicação no intuito de descobrir a fonte de uma matéria jornalística.

A polêmica é relativa a uma manchete de um jornal impresso da Capital, dando conta de que a Assembleia e o Tribunal de Justiça teriam articulado uma negociação

visando a soltura do deputado Mauro Savi (DEM), preso por conta da Operação Bereré.

O presidente da Amam, juiz José Arimatéa, afirmou que poderá ingressar com uma ação judicial para tentar obrigar o veículo a revelar a fonte da informação. O grupo de jornalistas criticou a declaração, uma vez que a Constituição Federal garante o sigilo da fonte como direito fundamental para a liberdade democrática, o Estado de Direito, e à própria democracia.

“A imprensa ameaçada pelo Poder Judiciário (como acusador e julgador da própria causa), também Estado, não pode ser livre. Sem imprensa livre, não há cidadania”, diz trecho do manifesto dos jornalistas.