Conectado por

Featured

Semusa: Porto Velho sem risco iminente de surto de sarampo


Compartilhe:

Publicado por

em

Na manhã desta segunda-feira, 17, o prefeito participou de solenidade simbólica para comemorar os resultados.

Porto Velho sai do período de risco iminente do surto de sarampo após permanecer 90 dias sem o registro de novos casos confirmados da doença. O primeiro caso ocorreu em 16 de junho deste ano em um bebê de quatro meses.

Na manhã desta segunda-feira 17, em uma solenidade no porto do Cai N’Água, o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, acompanhado da secretária Municipal de Saúde (Semusa), Eliana Pasini, em ato simbólico, soltaram balões nas cores da campanha para comemorar Porto Velho livre do sarampo autóctone (quando a contaminação acontece dentro da cidade).

A solenidade contou também com a participação da diretora da Agência de Vigilância Sanitária (Agevisa), Arlete Baldez, de representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e de profissionais da Semusa que trabalharam para realizar o protocolo de vigilância epidemiológica do sarampo,

“Apesar dos resultados positivos, não podemos relaxar nas medidas de controle, por isso continuaremos a vigilância”,declarou o prefeito Hildon Chaves. Ele atribuiu esse resultado aos 100% de cobertura vacinal que o Município atingiu durante a campanha.

A secretária Eliana Pasini ressaltou o empenho dos profissionais da saúde para atingir o êxito da ação de imunização. “O trabalho realizado pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, pela equipe de imunização e pelo Departamento de Vigilância em Saúde foi essencial para Porto Velho não apresentar nenhum caso de sarampo durante esses 90 dias”, declarou.

Apoio

A equipe multidisciplinar da Semusa executou todos os procedimentos necessários, fazendo a busca ativa das pessoas que estavam no barco que atracou o Cai N’Àgua, onde foi detectado o caso de sarampo no bebê, assim como o bloqueio vacinal de todos os passageiros. A ação contou com o apoio da Agevisa e Anvisa.

Durante a campanha, o Rotary Club e os Caps, entre outros parceiros, foram fundamentais como ponto de apoio para imunização. “Mediante o apoio deles, conseguimos atingir a cobertura vacinal efetiva”, ressaltou Elizeth Gomes, gerente de Imunização da Semusa.

Até o momento, foram administradas 45.92 doses da vacina contra o sarampo, sendo que desse total 30 mil foram em crianças de um a menores de cinco anos, o que represento mais de 100% da meta estipulada pelo Ministério da Saúde (MS).