Conectado por

Agronegócios

Seminário sobre floresta plantada motiva agricultor familiar a investir no segmento; evento acontece até sábado em Vilhena


Compartilhe:

Publicado por

em

O pequeno produtor rural tem encontro marcado no 4º Seminário sobre floresta plantada que terá abertura nesta quinta-feira (23), às 19h30, na Associação Vilhenense de Educação e Cultura (Avec), em Vilhena. Agricultores de 16 munícipios estarão presentes no evento que encerra no sábado com visitações técnicas em dia de campo.

Durante toda a sexta-feira (24) o seminário segue com palestras diversificadas com autoridades nacionais e internacionais sobre o tema, que abordará viabilidades econômicas e sustentáveis do reflorestamento com fins comerciais.

Dentre as temáticas a serem abordadas no evento, estão técnicas, manejos e tipos florestais. As linhas de créditos atrativas com taxas diferenciadas e carências para início do pagamento também estão em pauta.

Apesar da timidez no plantio de espécies florestais com fins lucrativos pela agricultura familiar rondoniense, o seminário tem exatamente essa proposta: a de apresentar as possibilidades de diversificação produtiva nas pequenas propriedades rurais sem afetar as tarefas diárias do agricultor. Para iniciar o plantio o pequeno agricultor pode aproveitar apenas um alqueire de área, preferencialmente as encostas e capoeiras que estão em desuso.

“Tudo é novo para o agricultor familiar. Aqui está a oportunidade para ele buscar conhecimentos e conferir na prática os benefícios diretos e indiretos proporcionados pelo plantio de várias espécies florestais”, sintetiza o coordenador de floresta plantada, Edgar Menezes Cardoso, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), organizador do evento com parceiros locais.

O Sul de Rondônia é a região onde concentra a maior produtividade de reflorestamento. “São oito mil hectares de florestas de pinus e eucalipto em plena atividade”, detalha Edgar Menezes, entusiasmado com os resultados que já são colhidos em Rondônia. As regiões Central, Zona da Mata e Norte do estado também são produtoras de reflorestamento, de  espécies variadas, como o Paricá e a Teca, por exemplo.

A produtividade no Sul do estado tem destino certo em Vilhena. Uma usina de tratamento e beneficiamento da madeira de reflorestamento gera empregos e rendas direta e indiretamente. “Estamos buscando maneiras e políticas para ampliação do parque de máquinas, pois a produção vem aumentando”, disse a gerente administrativa Cristiane Arruda, da Trata Norte, a principal beneficiadora de madeira de reflorestamento de Rondônia.