Conectado por

Amazonas

Segunda miniusina para produção de óleos vegetais amazônicos é inaugurada no Amazonas

Publicado por

em

A segunda miniusina de óleos vegetais construída pelo Projeto Cidades Florestais foi inaugurada na sexta-feira (28) em Apuí, sul do Amazonas. O início da operação será nova fonte de geração de renda para famílias parceiras da iniciativa, de acordo com o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam).

Continua após a publicidade

A miniusina foca no beneficiamento de óleos fixos e óleos essenciais amazônicos, uma atividade que ajuda a manter a floresta em pé no município que é um dos principais alvos de queimadas no estado.

Óleos de café, buriti, açaí, copaíba, além de manteigas de cacau e cupuaçu são os principais produtos beneficiados na nova estrutura, que possui capacidade mensal de processar até cinco toneladas de óleos fixos (gorduras, óleos e manteigas) e até 50 litros de óleos essenciais.

vExecutado pelo Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam) o projeto da miniusina foi financiado pelo Fundo Amazônia/BNDES e contou com apoio da Prefeitura Municipal de Apuí, IDAM e Secretarias de Meio Ambiente e de Produção Rural do Amazonas.

 início da operação será nova fonte de geração de renda para famílias parceiras da iniciativa — Foto: Idesam

início da operação será nova fonte de geração de renda para famílias parceiras da iniciativa — Foto: Idesam

A associação Ouro Verde, parceira do Idesam na produção do Café Apuí Agroflorestal, é a organização responsável por administrar a miniusina, cuja estrutura também atende produtores de copaíba das comunidades localizadas no Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Aripuanã-Guariba, também em Apuí. Juntas, as associações atualmente atendem 61 sócios.

“Vai gerar uma renda a mais para as famílias e agregar ainda mais valor no nosso produto, que é fornecido pela natureza”, disse Ronaldo Moraes, presidente da Associação Ouro Verde e um dos líderes de produção da miniusina.

A primeira usina foi inaugurada em janeiro na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, município de São Sebastião do Uatumã.

Para começar a colocar a mão na massa, os membros da Associação Ouro Verde participaram de cursos para operação dos equipamentos e de gestão do negócio.

Um dos carros-chefes da Inatú e que será produzida na miniusina de Apuí é o óleo de café verde, produzindo em sistemas agroflorestais, possui valor médio de mercado de R$ 1,6 mil o litro (podendo aumentar de acordo com a qualidade do produto). Esta é apenas uma das muitas oportunidades de geração de novos negócios, que, ao beneficiar diretamente estas famílias dá exemplos de produção conciliada a conservação ambiental.

Cidades Florestais

Em 2018 foi iniciado o projeto Cidades Florestais, executado pelo Idesam com apoio do Fundo Amazônia/BNDES. O projeto tem como propósito fomentar a produção florestal familiar e comunitária do Amazonas, tanto madeireira quanto não-madeireira. Dentre as atividades do projeto Cidades Florestais está a realização de intercâmbio nacional e internacional para a troca de experiências e aprendizados sobre a cadeia de comercialização e produção de produtos originários do extrativismo.

O fomento à produção florestal de uso múltiplo é desenvolvido pelo projeto por meio diversas ações, como: a implantação de plataforma digital e aplicativo de apoio à gestão da produção comunitária; implementação de novos equipamentos e maquinários para a atividade florestal; elaboração de planos de manejo florestais; instalação de duas novas miniusinas e apoio estrutural a outras três já existentes.

G1