Conectado por

Porto Velho

SAÚDE: Semusa inicia levantamento sobre índice de doenças por Aedes aegypti

Publicado por

em

Pesquisa ajuda a direcionar os trabalhos contra o mosquito que transmite dengue, Zika e chikungunya

Continua após a publicidade

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), através do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), inicia, na próxima segunda-feira (26), o segundo Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2020. A atividade segue até o dia 6 de novembro e o resultado ajuda a mapear os locais com altos índices de infestação do mosquito, além de alertar sobre os possíveis pontos de surto das arboviroses.

Serão 56 pessoas envolvidas no trabalho que vai durar 10 dias. A vistoria dos 7 mil imóveis sorteados em Porto Velho será realizada por quatro equipes compostas por dez agentes de combate a endemias (ACEs). Outros 16 profissionais estarão no suporte administrativo que o levantamento exige. Nos imóveis visitados são verificados todos os depósitos com água, desde a tampa da garrafa pet, caixas d’águas, pratos de plantas, calçadas, banheiros, bandeja da geladeira, entre outros.

O primeiro levantamento do ano foi realizado em janeiro, quando o resultando indicou índice de infestação de 4,3%. Segundo a gestora do Núcleo F.A Dengue, Maria Antônia Brasil, os números representaram, à época, alto risco de epidemia, vez que a cada 100 imóveis visitados, quatro apresentaram foco da dengue.

De janeiro a setembro foram confirmados em Porto Velho 248 casos de dengue, 10 de febre Chikungunya e 16 de Zika, sendo janeiro e fevereiro os meses com o maior volume de notificações. Os meses subsequentes apresentam bruscas quedas nos números. Porém, a preocupação é com a aproximação do período chuvoso, onde as águas paradas se acumulam, criando ambiente propício para proliferação do mosquito.

A secretária da Semusa, Eliana Pasini, considera que a participação da população, recebendo os agentes, é importante para a realização do levantamento. Para ajudar na identificação dos profissionais, todos os agentes de endemias estarão uniformizados e portando crachá com as principais informações.

“O diagnóstico da situação do município é fundamental para nos prepararmos para o período chuvoso que se aproxima. Além disso, é importante que a população tenha conhecimento da incidência do mosquito nos bairros. Pedimos que tenham consciência e não deixem água se acumulando nos quintais. Somente com a prevenção podemos evitar surto de doenças transmissíveis pelo mosquito”.

A previsão da Semusa é que o resultado do segundo LIRAa 2020 seja conhecido no dia 10 de novembro.

O LIRAa é o modelo utilizado para verificar o IIP (Índice de Infestação Predial) nos municípios e é uma ferramenta que ajuda a mapear os locais de alto índice de infestação do mosquito. Os resultados com índices de infestação predial inferiores a 1%, não apresentam risco. Já aqueles com índice de infestação entre 1% e 3,9% são considerados em situação de alerta. Considera-se o risco de surto de dengue quando o índice de infestação é maior que 4% dos imóveis pesquisados.

Confira os índices de 2020 referentes a incidência das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

Classificação         Jan    Fev    Mar   Abr   Mai    Jun    Jul     Ago   Set     Out        Total

Dengue                   44      76     36      38     14      13      16       9          2       0           248

Chikungunya           0       9       0         0       0        0       1         0          0       0             10

Zika                         1       11      3        0        0        0       1         0          0       0            16

Dados levantados até 05/10/2020

Assessoria