Conectado por

Acre

Roubo de celulares aumentou em mais de 72% no primeiro semestre de 2019 em Rio Branco


Compartilhe:

Publicado por

em

É muito comum encontrar na rua alguém distraído mexendo no celular. Mas, esse tipo de comportamento tem deixado as pessoas mais vulneráveis para ações de bandidos.

O número de roubo de celulares aumentou 72% no período de um ano em Rio Branco, segundo dados da Polícia Civil.

Entre janeiro e junho do ano passado foram 1.112 boletins de ocorrências. O número aumentou para 1.918 no mesmo período deste ano. A falta de cuidado no manuseio do aparelho é um atrativo para os criminosos.

A desempregada Marinete Nascimento costuma tomar alguns cuidados para não ter o celular roubado. “Só atender em casos de emergência. Atendo, escondo na bolsa e coloco a bolsa na frente porque se colocar pra trás o cara leva”, diz.

Dalila Gomes conta que também só atende o celular em casos de urgência, quando está na rua. “Quando é preciso sim. Uso meu celular só para me comunicar com meus filhos para dizer onde estou”, afirmou.

Rio Branco registrou mais de 1,9 mil roubos de celulares este ano

Rio Branco registrou mais de 1,9 mil roubos de celulares este ano

A auxiliar de saúde bucal Rosivânia Morais usa muito o celular na rua e justifica que é por necessidade.

“Como trabalho no celular, ficou todo tempo falando com os clientes, pacientes pelo celular”, afirma.

A diarista Julliana de Freitas se arrisca mesmo já tendo sido assaltada na rua.

“Se estiver na rua e me ligarem atendo. Não tenho essa questão ‘estou na rua e não vou atender’. Tenho medo sim, mas atendo. Já aconteceu de estar no bolso e a pessoa levar, fui procurar e não tinha mais” lamentou.

Registros

Os boletins de ocorrências para esse tipo de ação criminosa cresceram consideravelmente, se compararmos com os dados da Polícia Civil do primeiro semestre de 2018 e 2019.

Segundo a Polícia Militar do Acre (PM-AC), a distração é a principal causa para roubos de celulares. De acordo com o major Kleison Albuquerque, o ideial é que as pessoas não usem o aparelho na rua, nos pontos de ônibus e até mesmo no Terminal Urbano, por exemplo. É preciso adotar alguns cuidados.

“Desembarcou no Terminal, não sai com o celular na mão. Ou, quando for embarcar, não vá com o celular na mão, guarde em local seguro. Às vezes, no tumulto, o ladrão puxa o aparelho e vai embora, não consegue nem identificar. Não guarde na mochila e coloque nas costas, coloque na frente, ou então, guarde no bolso o aparelho. Tiver em ponto de ônibus, só use se for seguro, se tiver sozinho não utiliza, aguarde o melhor momento para atender”, frisou.

Outra recomendação é quanto à compra de celulares em grupos de venda na internet. Segundo o major, as pessoas devem evitar esse tipo de ação, já que alguns desses aparelhos podem ser roubados.

Ele também explica sobre a importância das vítimas procurarem a delegacia, já que as ações da polícia são direcionadas aos bairros com maiores ocorrências.

“Quando não se faz o registro da ocorrência, o que é muito comum, as pessoas vão reclamar. Quando se vai pegar os registros não tem nada, a rua é a mais calma da cidade. Aí, a gente pergunta se a pessoa que foi assaltada se registrou a ocorrência, diz que não”, advertiu.