Conectado por

Saúde

Rotina estressante pode desencadear mau hálito

Publicado por

em

estresse é um vilão potente. Ele interfere diretamente no seu humor. O pior é que geralmente os seus males não se restringem a gangorra psicológica. O mal do século, como também é chamado, quase sempre deixa a porta de entrada aberta a reações que vão interferir não só no bem-estar, mas também na saúde. Infelizmente, o seu campo de ação é grande no organismo. Causador de diversos incômodos, o estresse pode ser um fator decisivo quando o assunto é mau hálito.

Ansiedade, preocupações, excesso de trabalho, frustrações diárias e tensão provocam a diminuição do volume de saliva (hiposalivação), pois a atividade das nossas glândulas salivares depende do equilíbrio do Sistema Nervoso Central (SNC). O estresse provoca desequilíbrio no SNC, diminuindo a produção de saliva e favorecendo a formação de uma placa bacteriana – uma espécie de camada esbranquiçada na língua, também conhecida como saburra.

Estresse pode ser uma das causas do mau hálito - Foto: Getty Images
Estresse pode ser uma das causas do mau hálito – Foto: Getty Images

De acordo com o dentista Dirceu Coelho, esta camada é formada por restos de alimentos, células que se desprenderam da mucosa bucal e bactérias que se nutrem de proteínas. Segundo o profissional, durante este processo há uma forte liberação de enxofre, o que acaba provocando o mau hálito. Já a halitose ligada às emoções é resultado de uma perturbação da homeostase orgânica, propriedade autorreguladora do organismo e que permite manter o estado de equilíbrio do corpo. Essa perturbação favorece a produção do hormônio ACTH que estimula as glândulas supra-renais, responsáveis por fabricar substâncias que fragilizam os tecidos bucais e aumentam a acidez da saliva.

Um outro fator relacionado ao estresse que pode provocar o mau cheiro na boca é a má alimentação. Indivíduos estressados normalmente não seguem uma boa rotina alimentar. Ficar por muito tempo sem comer ocasiona uma queda do açúcar no sangue. Assim, o organismo começa a queimar gorduras. O resultado da queima reflete no hálito, com odor desagradável. Pode ocorrer também em pessoas estressadas o antiperistaltismo esofágico: parte da saliva que é engolida tende a voltar para a parte de trás da língua e ali permanecer grudada, facilitando a aderência de células mortas e restos alimentares, o que geralmente provoca mau cheiro.

Provocada por diversos fatores bucais e não bucais, fisiológicos ou patológicos, a halitose varia com o período do dia e a idade da pessoa. Dentre os fatores bucais (cáries e doenças periodontais), a causa mais comum é a higiene oral inadequada. Já as causas extrabucais, as comuns são as doenças do fígado, tabagismo deficiência de vitamina A e D, perturbações do sistema gastrointestinal, diabetes, intestino preso e estresse. O mau hálito é um sintoma das alterações no organismo que pela questão da saúde e bem-estar social deve ser tratado.

Como tratar o mau hálito em casa

Algumas soluções caseiras têm o poder de amenizar e diminuir o odor desagradável da boca. Os chás, feitos com plantas ou ervas, são aliados de baixo custo no combate ao mau hálito. Confira duas receitas que podem afastar o inconveniente de sua rotina.

– Beba uma xícara de chá verde ou preto, sem adicionar açúcar, por dia. A infusão é rica em polifenóis que impedem a proliferação de agentes que causam o mau hálito.

– Faça uma infusão com uma colher de gengibre, uma de raiz de zedoária e uma de canela (em casca) em meio litro de água. Ferva por 5 minutos e deixe descansar. Depois, faça bochechos. Três vezes ao dia é o suficiente.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *