Conectado por
Governo de Rondônia

Mato Grosso

Relatório aponta 80 casos de mortalidade infantil de indígenas e 2 assassinatos de índios em MT em 2018

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Mato Grosso registrou dois assassinatos de indígenas e 80 casos de mortalidade infantil de índios em 2018. Os dados foram publicados nessa terça-feira (24) pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi).

Com base na Lei de Acesso à Informação, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) obteve da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), dados relativos aos óbitos de crianças indígenas com idades entre 0 e 5 anos, em 2018, nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs)

Aldeia Halataikwa em Mato Grosso — Foto: Cristiano Antonucci/Secom-MT

Aldeia Halataikwa em Mato Grosso — Foto: Cristiano Antonucci/Secom-MT

Foram registrados 8 casos na DSEI de Cuiabá, 3 na DSEI de Kaiapó do Mato Grosso, 4 na de Vilhena, 40 na DSEI Xavante e 5 no Xingu.

Segundo a Sesai, “os dados informados são preliminares, pois ainda estamos em processos diferentes nos Distritos – seja de captação, alimentação, qualificação e/ou tratamento dos dados. Ainda, é possível observar a existência de subnotificação em algumas localidades e faixas etárias específicas”.

Índia de 9 anos morreu em Querência e polícia abriu investigação por homicídio — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Divulgação

Índia de 9 anos morreu em Querência e polícia abriu investigação por homicídio — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Divulgação

Os dados da Sesai evidenciam que a mortalidade na infância indígena é bastante grave e pode ser caracterizada como genocídio em algumas regiões do Brasil.

Assassinatos

O relatório aponta que em 2018 dois indígenas foram assassinados no estado: um professor indígena e uma criança de apenas 9 anos.

Daniel Kabixana, de 38 anos, havia saído da Aldeia Urubu Branco, onde mora com a família, para fazer um depósito bancário em Confresa, a 1.160 km de Cuiabá.

Daniel Kabixana, de 38 anos, foi assassinado em 2018 — Foto: Demilson Ferraz/ Arquivo pessoal

Daniel Kabixana, de 38 anos, foi assassinado em 2018 — Foto: Demilson Ferraz/ Arquivo pessoal

Dois homens de e um adolescente foram detidos pelo assassinato e apontaram o local onde o corpo foi deixado. De acordo com a Polícia Civil, os três confessaram o crime e disseram que assassinaram o indígena a pedradas.

Em depoimento, eles disseram que o objetivo era roubar a motocicleta de Daniel e o dinheiro que ele carregava.

Já o caso da criança, de 9 anos, foi registrado em dezembro. Ela morreu após supostamente ter sido agredida com pancadas na cabeça na Aldeia Khikhatxi, em Querência, a 912 km de Cuiabá.

Aldeia Halataikwa em Mato Grosso — Foto: Cristiano Antonucci/Secom-MT

Aldeia Halataikwa em Mato Grosso — Foto: Cristiano Antonucci/Secom-MT

A criança foi identificada como Ngaimberi Tapaiuna Suya. A menina tinha paralisia cerebral e sofria de epilepsia. Ela morreu durante o deslocamento da casa dela até o hospital municipal de Querência. Supostamente a menina foi agredida com um socador de pilão.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *